24 anos de prisão para homem que matou namorado à facada e o enterrou em Lagoa

Um homem, de 31 anos, que matou o namorado à facada e o enterrou, na zona de Lagoa, foi condenado […]

Um homem, de 31 anos, que matou o namorado à facada e o enterrou, na zona de Lagoa, foi condenado a 24 anos de prisão pelo Tribunal de Portimão pela prática dos crimes de homicídio e furto qualificado e falsificação de documento. 

Os factos remontam a 28 de Fevereiro de 2017. Nessa data, na zona de Lagoa, o arguido encontrou-se com o namorado, um professor do ensino secundário, de 56 anos, e matou-o com 26 golpes com uma navalha.

«Depois, com uma pá, tapou com terra o corpo da vítima. Em seguida levou o automóvel do falecido, falsificou um requerimento/declaração de venda e registou o veículo em seu nome», conta o Ministério Público.

Segundo o Jornal de Notícias, o «suposto agressor queria terminar o namoro mas a vítima, dada como desaparecida, não aceitava», conta este jornal.

A vítima «estava nua e apresentava golpes no pescoço e cabeça, na altura em que foi encontrada», acrescenta.

O arguido foi detido e apresentado a primeiro interrogatório judicial a 10 de Março de 2017. O juiz de instrução não aplicou prisão preventiva ao arguido, o que levou o Ministério Público a recorrer dessa decisão.

O tribunal da Relação de Évora deu razão ao Ministério Público e aplicou ao arguido a medida de prisão preventiva, situação essa em que se encontra desde 26 de Abril deste ano.

A investigação foi dirigida pelo Ministério Público da secção de Portimão do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro, com a coadjuvação de diretoria de Portimão da Polícia Judiciária. A acusação foi sustentada em julgamento pelo MP do Juízo Central Criminal de Portimão.

Comentários

pub
pub