Um maestro e uma solista de renome juntam-se a uma orquestra reforçada para encerrar FIMA 2018 em grande

O FIMA – Festival Internacional de Música do Algarve vai encerrar em grande com o espetáculo “As Mil e Uma […]

Peter Stark/Foto de Chris-Christodoulou

O FIMA – Festival Internacional de Música do Algarve vai encerrar em grande com o espetáculo “As Mil e Uma Noites”, na quinta-feira, dia 24 de Maio, às 21h00, no Teatro das Figuras, em Faro. O conceituado maestro britânico Peter Stark vai dirigir uma Orquestra Clássica do Sul (OCS) reforçada, num concerto onde também marcará presença a violinista italiana Francesca Dego.

Este concerto, que explora o imaginário do livro “As Mil e Uma Noites” e da sua protagonista Xerazade, será especial. Desde logo pelos convidados de renome internacional, mas também pelo facto de a OCS se apresentar num formato de orquestra sinfónica, com cerca de 50 músicos, quase o dobro da sua composição normal.

«Neste concerto de encerramento, como aconteceu no de abertura, decidimos apresentar uma formação mais alargada, uma formação sinfónica. Eu fiz o primeiro e tenho agora a honra de ter o meu professor de direção e um grande maestro a fazer este último espetáculo», enquadrou Rui Pinheiro, diretor artístico do FIMA e maestro titular da OCS, numa entrevista ao Sul Informação.

A conduzir esta grande Orquestra Clássica do Sul estará um maestro que já dirigiu algumas das mais conceituadas formações do mundo, como a London Symphony Orchestra, a Hallé Orchestra, a Malaysian Philharmonic Orchestra, a Orchestra of the Age of Enlightenment e a English Chamber Orchestra, e que se distingue, igualmente, como formador na área da direcção de orquestra – é professor no Royal College of Music de Londres.

Foi, de resto, no Royal College of Music de Londres que Rui Pinheiro foi aluno do maestro britânico. «Se estou hoje onde estou, aqui na Orquestra Clássica do Sul, muito o devo ao Peter Stark. Foi alguém com quem aprendi imenso e uma pessoa marcante para a minha atividade», disse.

«Hoje de manhã estive totalmente embevecido a ouvir o ensaio, porque é ótimo recordar todos os ensinamentos. Além disso, Peter Stark é alguém que tem um conhecimento profundíssimo do que é uma orquestra, de como ela funciona e de como retirar dela todas estas sonoridades mágicas. Foi bom para matar saudades e reaprender um pouco», contou ao nosso jornal o maestro português.

Peter Stark também é, atualmente, «o maestro principal da Orquestra da União Europeia, que faz toda a preparação da orquestra de jovens da UE» e maestro titular da Arabian Youth Orchestra.

Francesca Dego/ Foto de Davide Cerati

Já Francesca Dego é uma violinista italiana, «com uma carreira incrível, que grava para as melhores etiquetas, como a  Deutsche Gramophon, e já se apresentou com as melhores orquestras do mundo».

O diretor artístico do FIMA confessou ao Sul Informação que «foi muito complicado apanhá-la, para estar aqui connosco uma semana a preparar este concerto».

Francesca Dego vai acompanhar a OCS na primeira parte do espetáculo, em que será interpretada a obra “Concerto para Violino”, de Sibelius, «um dos marcos da obra concertante para violino».

Na segunda parte do concerto, será apresentada a peça  “Sheherazade”, de Rimsky-Korsakov, «uma das mais fantásticas obras do repertório orquestral».

«A “Sheherazade” é uma obra baseada nos contos das “As Mil e Uma Noites”. É uma obra extremamente sensorial, que nos conta várias histórias. É uma peça absolutamente incrível, muito bem orquestrada e com sonoridades sublimes. Penso que o grande público vai gostar muito desta peça», enquadrou o diretor artístico do FIMA.

«Temos um grande maestro, uma grande solista e um repertório excecional. Estão reunidos todos os ingredientes para um excelente concerto de encerramento do festival», rematou Rui Pinheiro.

Os bilhetes para o espetáculo custam 20 euros e podem ser adquiridos online. O FIMA – Festival Internacional de Música do Algarve é organizado pela Orquestra Clássica do Sul, com o apoio do programa “365Algarve”.

Comentários

pub
pub