Desidério Silva diz que TAP «tem que olhar para o Algarve com respeito»

Desidério Silva considera que a TAP «tem que olhar para o Algarve com respeito». A companhia aérea anunciou esta terça-feira, […]

Foto: António Martins/ETIC_Algarve

Desidério Silva considera que a TAP «tem que olhar para o Algarve com respeito». A companhia aérea anunciou esta terça-feira, 19 de Dezembro, quatro novas rotas a partir do Porto, mas o presidente da Região de Turismo do Algarve exige que «a TAP e os gestores» pensem, «pelo menos uma vez, no Algarve e no que ele representa». 

Numa nota enviada às redações, Desidério Silva também diz que o Governo «tem que olhar» para a região. «Fomos, mais uma vez, surpreendidos pela boa vontade da TAP (nossa companhia de bandeira) em levar ao aeroporto do Porto uma prenda de Natal. Todos ficámos muito contentes por isso», lê-se.

A companhia portuguesa vai voar, duas vezes por dia, para Barcelona e Milão, a partir do Porto. Já para o aeroporto London City a rota terá um voo por dia. Também a partir do aeroporto Francisco Sá Carneiro haverá um voo diário para Ponta Delgada.

«O Norte e Centro agradecem e o país fica mais equilibrado em termos de voos e rotas que trarão mais turistas para o país e melhorarão a economia», diz Desidério Silva.

«Mas poderia ficar ainda melhor se, de uma vez por todas, a TAP e os gestores pensassem pelo menos uma vez no Algarve e no que ele representa: perto de 40% das receitas do turismo nacional e um aeroporto que este ano atingirá perto de 9 milhões de passageiros e que está ligado a mais de 80 cidades (estranho é que a sua companhia de bandeira represente apenas cerca de 3% do total movimentado)», considera aquele responsável.

«Temos que reconhecer que é muito, muito pouco, para a importância estratégica do Algarve». diz.

«Não exigimos uma ponte aérea, como para o Porto, mas exigimos a redução dos tempos de espera em Lisboa de um voo para Faro: quatro a seis horas não é aceitável nos tempos modernos, para mais num país que acabou de ganhar o título de melhor destino turístico do mundo», acrescenta.

Desidério Silva conclui dizendo que é necessário a TAP «olhar para o Algarve com respeito e operacionalizar os meios necessários de modo a dar respostas objetivas, com vista a honrar esta região e a sua economia. Todos os governos têm olhado para o lado em relação a este assunto. É agora altura de o poder político respeitar o Algarve e os algarvios e de colocar a nossa companhia de bandeira a servir o Algarve e o país».

Comentários

pub
pub