Centro Cultural de Lagos comemorou 25 anos com casa cheia

O Centro Cultural de Lagos assinalou esta terça-feira, 24 de Outubro, 25 anos de existência, data que foi comemorada «com […]

O Centro Cultural de Lagos assinalou esta terça-feira, 24 de Outubro, 25 anos de existência, data que foi comemorada «com casa cheia». 

O programa preparado iniciou com a abertura da exposição “CCL, 25 anos de vida e história”, patente até ao final do ano, no hall do piso 1 do Centro Cultural, e que permite recordar alguns dos momentos especiais que marcaram a evolução daquele equipamento em termos de projeto, obra e os vários espetáculos, nas diversas áreas, que o Centro Cultural tem recebido ao longo dos anos.

No pátio decorreu depois a Tertúlia “CCL…o despertar de emoções!”, que contou com a presença dos presidentes da Câmara de Lagos que, ao longo de grande parte destes últimos 25 anos participaram neste projeto: José Alberto Baptista, Valentim Rosado, Júlio Barroso e a atual autarca Maria Joaquina Matos, que partilharam com todos os presentes o seu testemunho e memórias deste período.

A tertúlia foi moderada pela jornalista do Sul Informação Elisabete Rodrigues.

Todos falaram das suas experiências e memórias, tendo sido lembrados, em particular, alguns nomes que engrandeceram aquele equipamento como o artista plástico Xana (Alexandre Barata) ou Duval Pestana.

No geral houve agradecimentos, por parte dos quatro presidentes, tanto a todos os funcionários da autarquia, que têm dedicado todo o seu empenho ao longo destes anos ao Centro Cultural, como às variadas associações do município, criadores, artistas, instituições e agentes culturais regionais e nacionais que têm contribuído para enriquecer a sua programação.

No final da tertúlia foi inaugurada a exposição “O Contineralismo Poético – Horizontes Novos, Pinturas e Poemas”, de Timo Dillner, que, de acordo este, «ilustra também, mas não só, a globalização, as descobertas de novos mundos, as viagens pelas terras desconhecidas, mas em maior parte ilustra a descoberta de novos horizontes dentro de nós».

A mostra ficará patente ao público até ao final do ano.

Também houve direito a um porto de honra e bolo de aniversário. O momento contou com um acompanhamento musical pela Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, entidade que tinha estado na inauguração do Centro Cultural há 25 anos.

«O dia de festa terminou com chave de ouro, com um espetáculo da Orquestra de Jazz do Algarve & Selvis Prestley – “Love Me Tender”, que esgotou o auditório do Centro Cultural de Lagos», conclui a Câmara Municipal.

Comentários

pub
pub