Môce dum Cabréste ajuda PALP a angariar fundos para pagar luta nos tribunais contra o petróleo (com vídeo)

O comediante Môce dum Cabréste decidiu ajudar a Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) a angariar fundos para pagar os […]

O comediante Môce dum Cabréste decidiu ajudar a Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) a angariar fundos para pagar os custos com tribunais e advogados, na sua luta contra a exploração de hidrocarbonetos no Algarve. Para isso, deu a sua cara e voz no vídeo acima.

«Para manter o Algarve Livre de Petróleo precisamos da sua ajuda», diz a PALP, ao anunciar esta sua campanha de crowdfunding. Até agora,  já foram angariados pouco mais de 1000 dólares, dos 4.350 dólares definidos como objetivo no âmbito desta campanha alojada no site de crowdfunding Indiegogo.

Em Abril de 2017, recorda a PALP, «interpusemos uma providência cautelar para deter o iminente furo de prospeção em frente a Aljezur. Participe e contribua nesta campanha de angariação de fundos destinada a cobrir os custos com tribunais e advogados, que poderão ascender a vários milhares de euros. A sua contribuição, qualquer que seja o montante, será útil e valiosa! Passe a palavra!»

A PALP foi criada em Março de 2015 por cidadãos, associações ambientalistas e outras entidades, com o objetivo de incentivar o debate público sobre a prospeção, a pesquisa, o desenvolvimento e a produção de petróleo e gás natural em Portugal.

A plataforma vê com muita apreensão o futuro do Algarve «dados os impactos que esta atividade poderá ter numa região muito dependente do turismo e do mar e com uma grande biodiversidade e uma beleza natural única».

«Haverá consequências na saúde, nas alterações climáticas, na qualidade de vida das populações, nas fauna e flora marinhas e também no turismo», salienta a Plataforma.

Por isso, a PALP tem trabalhado no sentido de cancelar todos os contratos de exploração de petróleo vigentes. Foram já cancelados dois em terra e aguarda-se a confirmação oficial sobre a eventual rescisão de outros quatro, no mar, a sul.

Contudo, salienta a Plataforma, «está iminente o início de prospeção ao largo do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, pelo que, a par do trabalho de sensibilização e de contestação desenvolvido, a 27 de Abril de 2017 interpusemos uma providência cautelar contra o Ministério do Mar e a Direção Geral dos Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos de forma a impugnar o ato administrativo que permite ao consórcio ENI/ Galp avançar com o furo ao largo daquela zona da costa».

A PALP garante: «tudo faremos para impedir este atentado. E é aqui que precisamos de ajuda. Os custos com os tribunais e advogados poderão ascender a vários milhares de euros, sendo muito difíceis de suportar e, por esse motivo, lançamos a presente campanha de angariação de fundos».

«Toda e qualquer contribuição é útil e valiosa!», reforça.

O comediante Môce dum Cabréste decidiu «ajudar como melhor sabe», com o vídeo acima.

A PALP volta a lembrar que «por todo o mundo, procuram-se formas de utilização de energias alternativas que permitam a substituição dos combustíveis fósseis, que são responsáveis por uma parte significativa do aquecimento global e pela destruição de habitats economicamente fundamentais para a população humana. A insistência na corrida por novas reservas para manter este tipo de produção assenta num modelo energético ultrapassado, seja em que zona do planeta for».

 

Para saber mais sobre esta campanha, clique aqui.

Para contribuir no crowdfunding, através da plataforma, clique aqui.
Pode também ajudar fazendo uma transferência bancária. Para isso, clique aqui.

 

 

Comentários

pub
pub