Carrilho da Graça elabora plano de salvaguarda da vila medieval de Monsaraz

A vila medieval de Monsaraz vai ter um Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização. O Município de Reguengos de […]

A vila medieval de Monsaraz vai ter um Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização. O Município de Reguengos de Monsaraz adjudicou a elaboração do plano à empresa JLCG – Arquitetos Lda., do arquiteto João Luis Carrilho da Graça.

O Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização de Monsaraz pretende promover a reabilitação e valorização do seu património natural e construído, afirmando a sua identidade histórico-cultural, conferindo-lhe um carácter museológico-vivencial por excelência e de polo na dinâmica turístico-sócio-económica no contexto da paisagem transfigurada pela bacia do Alqueva, estimulando a compatibilização da salvaguarda do património urbano, cultural e de paisagem com os processos das dinâmicas culturais e turísticas contemporâneas.

Através deste plano de pormenor, poderão ser criados espaços públicos de fruição, recreio e lazer interligados entre si que, associados à recuperação e valorização do património existente possam potenciar uma nova dinâmica socioeconómica e a afirmação da identidade da vila medieval, conferindo-lhe o carácter de um lugar em que a preservação patrimonial, material e imaterial, é compatível e estimulada pelas dinâmicas socioculturais contemporâneas.

O Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização de Monsaraz abrange uma área com cerca de 23 hectares e implicará alterações ao Plano Diretor Municipal, designadamente no que se refere à definição dos indicadores e parâmetros urbanísticos e transformação de uso do solo (espaços privados/espaços públicos).

A definição de uma zona especial de proteção/influência tomará por referência o disposto na Convenção Europeia da Paisagem, assinada em Florença em 20 de outubro de 2000.

O plano de pormenor vai definir as regras sobre a implantação das infraestruturas, o desenho dos espaços de utilização coletiva, a forma de edificação e disciplina da sua integração na paisagem, a localização e inserção urbanística dos equipamentos de utilização coletiva, a organização espacial das demais atividades de interesse geral e o desenvolvimento e concretização de programas de ação territorial.

A elaboração do Plano de Pormenor de Salvaguarda e Valorização de Monsaraz terá quatro fases que em conjunto significam um prazo de 180 dias, a que acresce o tempo necessário dos procedimentos para análise, decisão e aprovação das entidades competentes.

Considerando a especificidade do plano, a equipa técnica multidisciplinar integrará um arquiteto, um engenheiro civil, um arquiteto paisagista, um urbanista, um licenciado em Direito e um arqueólogo, com experiência profissional relevante, a que se podem juntar outros técnicos.

Comentários

pub
pub