Colocações da 1ª fase crescem 4% na Universidade do Algarve e contrariam tendência nacional

Universidade do Algarve obteve o melhor resultado nas colocações da primeira fase desde 2010

A Universidade do Algarve teve 1210 alunos colocados na primeira fase do Concurso de Acesso ao Ensino Superior de 2018, mais 45 do que no ano passado. A academia algarvia obteve um crescimento de 4%, quando a nível nacional até houve uma quebra de 2%.

Segundo a Universidade do Algarve, «estes são os melhores resultados da academia algarvia desde o ano de 2010, alargando para quatro o número de anos consecutivos com mais de um milhar de estudantes colocados, numa série de resultados positivos obtidos sucessivamente. O aumento absoluto do número de colocados na UAlg é o quarto mais elevado entre as instituições de ensino superior».

Paulo Águas, reitor da academia algarvia, considera que «é um excelente resultado aumentar o número de colocados num ano em que se verifica uma redução a nível nacional. Não se trata de um resultado isolado, pois, em quatro dos últimos cinco anos, o crescimento do número de colocados na UAlg foi superior ao verificado no país, o que significa que temos vindo a aumentar a nossa quota de mercado. Para o resultado alcançado este ano, contribuiu a autorização do governo para aumento de vagas nas Instituições de Ensino Superior não localizadas nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, as quais foram canalizadas para os cursos com maior procura e níveis de emprego mais elevados».

Segundo os resultados revelados, este domingo, pela Direção Geral do Ensino Superior, ao todo, 15 cursos esgotaram as vagas nesta primeira fase na academia algarvia: Ciências Biomédicas, Psicologia, Ciências da Educação e da Formação, Línguas e Comunicação, Ciências Farmacêuticas, Sociologia, Imagem Animada, Ciências da Comunicação, Educação Social, Desporto, Gestão, Gestão Hoteleira, Marketing, Turismo (no Campus da Penha, em Faro, e também no Campus de Portimão) e Enfermagem.

Em sentido inverso, os cursos de Ortoprotesia e Agronomia ocuparam apenas uma vaga nesta primeira fase e Engenharia Civil ocupou duas. O curso que ficou com mais vagas por ocupar (22), apesar de ter ocupado seis, foi o de Gestão Marinha e Costeira.

Das 1475 vagas disponíveis na academia algarvia, ficaram por preencher 306, mais 55 do que em 2017, o que representa uma taxa de colocação de 82%. A média nacional cifrou-se nos 86,5%.

A Universidade do Algarve preparou, para receber os novos alunos, uma semana «repleta de atividades», entre 10 e 18 de Setembro, «que lhes permitirá conhecer a Academia, a cidade que os acolhe, os cursos e os novos colegas».

A nível nacional, de acordo com a DGES, apresentaram-se a concurso, nesta fase, 49362 candidatos, tendo sido admitidos 43992 novos estudantes no ensino superior público.

«Dos candidatos à primeira fase do concurso, 89,1% foram já colocados, sendo que 88,2% dos estudantes agora admitidos foram colocados numa das suas três primeiras opções o que representa um aumento de 4,8% relativamente ao ano anterior (83,4% em 2017)», explica a entidade.

Das 50 852 vagas colocadas a concurso, sobraram 7 290 vagas para a segunda fase.

 

Clique aqui para aceder à lista de colocações no ensino superior público.

 

 

Comentários

pub
pub