Grupo de Velejadores do GCN de Faro lança-se na competição da vela de cruzeiro

A aposta na formação de praticantes adultos de vela, feita pelo Ginásio Clube Naval de Faro, já está a dar […]

A aposta na formação de praticantes adultos de vela, feita pelo Ginásio Clube Naval de Faro, já está a dar frutos, com o aparecimento de novos praticantes da modalidade. É o caso do grupo de velejadores que se lançou, nesta época desportiva, na competição de vela de cruzeiro, com o veleiro «Choque». A tripulação é constituída por Miguel Caetano, João Catarino, Nuno Santos, Rodrigo Beja, Sérgio Vieira e Sérgio Cardoso.

O ponto de partida para esta aventura foi a frequência no Curso de Vela para Adultos proporcionado pelo Ginásio Clube Naval de Faro, ministrado pelo experiente treinador Manuel Belchior, a bordo da embarcação “Cidade de Faro”, um Jeanneau One Design com 35 pés de comprimento, vulgarmente conhecido por JOD35.

«Há um enorme potencial de crescimento para a vela de cruzeiro na região algarvia. Além disso, em Faro, estamos rodeados pelas águas calmas da Ria Formosa, aspeto fundamental, por permitir praticar vela durante quase todo o ano», explicou Miguel Caetano ao Sul Informação.

A tripulação do «Choque» tem a consciência de que «o ecossistema da Ria Formosa é frágil». Só que, acrescenta Miguel Caetano, «a vela é a forma de navegação mais amiga do ambiente que conhecemos. Para nós, velejar na Ria Formosa significa defender a sua preservação, mas também demonstrar que a coexistência entre o ecossistema e o homem é possível».

«Em termos históricos, a vela está inscrita no ADN de todos os Portugueses. A melhor forma de honrar essa história e perpetuar essa herança, é praticá-la, divulgá-la e transmiti-la às gerações vindouras, num espírito de fair play, amizade genuína e boa disposição, para contagiar mais pessoas a experimentar, a não ficarem parados, desafiando limites como os nossos antepassados fizeram», acrescentam.

Esta tripulação desenvolveu o seu conhecimento a bordo do Jeanneau JOD 35 “Cidade de Faro”, tendo passado pela formação e por um conjunto de regatas na Ria Formosa e na costa do Algarve e Espanha.

Mas agora resolveu fazer a transição para «uma embarcação mais ligeira e mais técnica», um Beneteau Platu 25, o «Choque», com o qual já participaram em duas regatas, durante o corrente ano de 2018, no âmbito do Troféu Ria Formosa, onde ocupam atualmente a 8ª posição.

Tendo a noção de que ainda estão a ganhar prática enquanto equipa e na nova embarcação, a tripulação do «Choque» vai participar nas restantes regatas do Troféu Ria Formosa, nomeadamente, as regatas “Heitor Batalha de Almeida”, “Cidade de Olhão”, “Nossa Senhora dos Navegantes” e “Cidade de Faro”.

Esta embarcação vem assim reforçar a competitividade da frota que realiza as Regatas da Ria Formosa ao longo de toda a época desportiva. Entre os 30 barcos que regularmente se inscrevem, há agora cinco Beneteau Platu 25, o que possibilita a realização de um troféu de classe.

Em Julho, irão estar na “Volta ao Algarve à Vela”, assim como na Regata de Santa Iria Faro-Tavira-Faro. Finalmente, irão participar na Regata de Natal, a fechar o ano. A tudo isto, acrescenta Miguel Caetano, «juntam-se os treinos em equipa sempre que possível».

Uma das regatas em que a «Choque Sailing» já participou este ano foi a regata da Liberdade/Memorial Picuca 2018, disputada no feriado do 25 de Abril, nos canais da Ria Formosa.

A equipa de vela de Faro «Choque Sailing» terminou no oitavo lugar da geral, consolidando a sua classificação no Troféu Ria Formosa a meio da tabela da classe A.

«Com uma tripulação ainda a conhecer as potencialidades do Beneteau Platu 25 e a crescer de rendimento nas últimas semanas de treino, não foi ainda possível chegar aos lugares cimeiros da classificação, onde surgem embarcações e skippers com muitos anos de experiência», explicaram os responsáveis pela tripulação farense.

Esta regata contou com alterações na direção do vento pouco frequentes, proporcionando mais uma popa do que é habitual, enchendo de colorido os canais da ria, com os balões içados.

Com temperaturas do ar na ordem dos 25º e vento fraco, assistiu-se a uma manhã de vela com condições ideais para levar os barcos a cumprir o percurso estabelecido.

Num ano que se prevê ainda mais competitivo do que 2017, lidera este troféu a embarcação “Tomate”, capitaneada por João Coutinho.

Estiveram na linha de largada 27 embarcações de cruzeiro. O Troféu Ria Formosa assume-se, assim, como a maior competição de vela de cruzeiro do país.

Além da vertente competitiva, a equipa «Choque Sailing» pretende ainda «contribuir para o desenvolvimento da vela no Algarve, pretendendo participar em iniciativas capazes de levar mais pessoas à prática desportiva e a conhecer as potencialidades da vela na costa sul de Portugal e costa andaluza».

A «Choque Sailing» conta com o apoio da Nave Pegos Boat Yard, Sul Informação e Ginásio Clube Naval de Faro.

 

Comentários

pub
pub