Luso-canadiano violou e manteve em cativeiro duas mulheres em Albufeira

Homem já tinha sido condenado por homicídio no Canadá

Levou duas mulheres para casa, em Albufeira, depois de as conhecer em bares, obrigando-as a ter sexo com ele. Depois, manteve-as em cativeiro: uma durante cinco dias e outra mais de um mês. Estas são as suspeitas que recaem sob um luso canadiano, de 35 anos, que está em prisão preventiva, anunciou esta quinta-feira, 9 de Janeiro, o Ministério Público (MP).

O homem já tinha sido detido na passada terça-feira, 7 de Janeiro, na sua casa.

Segundo o MP, os factos remontam a Abril e Maio. Na altura, depois de conhecer as duas mulheres, o homem levou-as para a sua casa.

Aí, «terá agredido e ameaçado repetidamente as vítimas, obrigando-as a manterem relações sexuais consigo», conta o MP, em nota emitida hoje, 9 de Janeiro.

Segundo a SIC Notícias, o primeiro caso deu-se em Abril, com uma mulher brasileira que, passados cinco dias, conseguiu fugir, numa saída com o suspeito a Boliqueime. Mais tarde, fez queixa à PSP.

Já o segundo caso aconteceu em Maio com uma britânica e assume contornos (ainda) mais macabros. Depois de a mulher ter estado vários dias em cativeiro, ambos foram ao Fórum Algarve, em Faro.

Aí, desesperada, a mulher escreveu uma nota em inglês, com um pedido de ajuda, que entregou ao funcionário de um restaurante, conta a SIC Notícias.

O emprego acabou por chamar a PSP que identificou o homem no local. O cidadão luso-canadiano garantiu que a mulher estava com ele, de livre vontade, mas esta, quando foi à esquadra, relatou as agressões, violação e ameaças que tinha sofrido.

Na casa deste homem, que já tinha sido condenado no Canadá, por homicídio, foram encontrados objetos utilizados na prática dos crimes, bem como uma réplica de arma de fogo de calibre 9mm.

Comentários

pub
pub