José Estêvão Cruz lança romance histórico «A Dama da Luz»

Obra centra-se no ano de 1760

O livro “A Dama da Luz” do escritor José Estêvão Cruz, produzido pela Editora Guadiana, vai ser apresentado no próximo dia 24 de Outubro (quinta-feira), às 18 horas, na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, em Vila Real de Santo António.

Trata-se do segundo volume da trilogia “Bloqueios de Fronteira”. O primeiro, com o título “Águas Vivas de Levante”, foi editado no ano de 2015.

Esta série de livros procura romancear os conflitos que têm existido nas comunidades piscatórias em ambos os lados da fronteira luso-espanhola, Castro Marim, Vila Real de Santo António, Ayamonte, Canela, La Higuerita e Redondela, quando as fronteiras eram porosas, os cabeços de areia eram altamente produtivos e habitavam em ambas as margens do rio Guadiana, portugueses, espanhóis, catalães, valencianos, cristãos e mouros, homens livres e escravos, num harmónio de cabanas de colmo.

Em “Águas Vivas de Levante” o autor aborda a forma como dois degredados chegam a Castro Marim no dia do terramoto de 1755 e se subtraem à pena que lhes foi imposta pela Inquisição, após descobrirem que os registos foram destruídos e prestando auxílio à população afetada.

Na obra atual “A Dama da Luz”, centrado no ano de 1760, vemos Mariana e Brandão fundarem uma pequena companhia de pesca e exploração de salinas, na vila de Castro Marim e em Monte Gordo, e assistimos aos relacionamentos na porosa fronteira do rio, onde as autoridades exerciam um tíbio controlo, numa espécie de terra de ninguém transfronteiriça.

Ao mesmo tempo, o Iluminismo começa a soprar na Europa ventos de mudança, com a ascensão do mercantilismo e da burguesia e perspetiva-se a fundação de uma nova cidade junto da foz do Guadiana.

Este é o quinto romance de José Estêvão Cruz que se iniciou com “Sol e Sal”, (Viprensa), 1996. Publicou depois “Xá e Luís na circunstância”, (Viprensa), 2014; “Águas Vivas de Levante”, (Editora Guadiana), 2015; e “A Misteriosa Sovieta Ulianova”, (Viprensa) 2018.

Tem ainda publicados com produção da Editora Guadiana os livros “Marés Travessas”, contos, 2013; “Brumas de Barra”, poesia, 2011, e Multiversos, poesia, 2019.

Na poesia, estreou-se com “Neurónio Flutuantes”, (Viprensa) em 1999.

Comentários

pub
pub