Escavações arqueológicas no Castelo de Silves continuam a pôr a descoberto o «Palácio das Varandas»

Investigações pretendem fazer a identificação de importante sector do palácio do século XI

O “Palácio das Varandas”, evocado por Al-Mutamid na sua poesia e situado no Castelo de Silves, continua a ser investigado, através de nova campanha de escavações arqueológicas, sob a direção de Rosa Varela Gomes, que há décadas investiga a história guardada no subsolo da cidade. A campanha começou a 2 de Setembro e prolonga-se até dia 14.

Do “Palácio das Varandas”, subsistem, ainda, fragmentos de compartimentos e estuques ricamente decorados, correspondentes ao século XI.

A Câmara de Silves adianta que estes elementos arquitetónicos, «depois de devidamente limpos e restaurados, poderão integrar exposição no Museu Municipal de Arqueologia de Silves».

Além da professora doutora Rosa Varela Gomes, do Instituto de Arqueologia e Paleociências da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa (UNL), que é a arqueóloga responsável, a campanha de escavações conta com uma equipa que integra ainda um assistente de arqueólogo/desenhador, sete estudantes do 1º e 2º ciclo de Arqueologia da FCSH da UNL e, ainda de um técnico de fotografia.

A área que está a ser alvo de todas as atenções localiza-se no setor nascente da alcáçova, pretendendo-se prosseguir com a identificação de importante sector do palácio do século XI. Este, famoso no Ocidente Peninsular, e conhecido como o “Palácio das Varandas”, é referido na poesia intitulada “Evocação a Silves”, de Al-Mutamid, o rei-poeta de Sevilha, nascido em Beja e falecido em Agmat, em 1095.

Comentários

pub
pub