Serralves traz fotografias do Algarve visto de outro ângulo ao Teatro das Figuras

Mostra é resultado da parceria estabelecida entre a Fundação de Serralves e o Município de Faro

Uma das fotos da exposição «Patrícia Almeida – Portobello»

«Portobello explora o fenómeno do turismo de Verão e o imaginário iconográfico a ele associado». É assim que a fotógrafa Patrícia Almeida enquadra a exposição que, esta segunda-feira, dia 13 de Maio, às 19h00, vai ser inaugurada no Teatro das Figuras, como resultado da parceria estabelecida entre a Fundação de Serralves e o Município de Faro.

«Patrícia Almeida – Portobello» é precisamente o título da mostra, que se integra num programa de exposições e apresentação de obras da Coleção de Serralves especificamente selecionadas para os locais de exposição, com o objetivo de tornar o seu acervo acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Patrícia Almeida (Lisboa, 1970–2017) «construiu um corpo de trabalho absolutamente singular no contexto da fotografia portuguesa, através de séries que abordam temáticas e assuntos tão diversos quanto a relação dos indivíduos com os espaços urbanos, a ligação entre música e juventude, ou a precariedade nos anos da profunda crise económica que assolou Portugal entre 2008 e 2013», explica a Fundação de Serralves.

Entre estas séries, «uma das que mais contribuiu para a divulgação do seu trabalho foi sem dúvida Portobello, realizada em várias visitas ao Algarve entre 2006 e 2007».

Nas palavras da fotógrafa, «Portobello explora o fenómeno do turismo de Verão e o imaginário iconográfico a ele associado, cuja promoção institucional baseada em técnicas de marketing aborda a ideia de território em termos de ‘lugar-marca’. Um lugar para estar (não para habitar ou visitar), para experimentar, consumir, durante uma ou duas semanas. Portobello apresenta-se assim como um lugar à beira da ficção, simultaneamente real e inventado, uma espécie de ‘parque temático’ sem temática, mas ancorado num imaginário coletivo relacionado com as férias e construído a partir de estereótipos. Enquanto projeto documental, Portobello apresenta-se também como um ensaio fotográfico sobre a forma como os fluxos de ocupação temporária gerados pelo turismo de verão influenciam a construção da identidade de um lugar».

Este foi o projeto que garantiu a Patrícia Almeida uma maior visibilidade: depois da sua apresentação na Galeria Zé dos Bois (ZDB, Lisboa), em 2008, e, no ano seguinte, na segunda edição do Allgarve, a fotógrafa foi nomeada com esta série fotográfica para o Prémio BesPhoto 2009.

Esta é, assim, a segunda vez que Patrícia Almeida expõe na região algarvia, depois de, em 2009, ter apresentado um conjunto de trabalhos, sob o lema «Estranhas Formas de Vida», também tendo o Algarve como motivo, no Convento de Santo António, em Loulé, no âmbito da programação do Allgarve.

A mostra «Patrícia Almeida – Portobello», uma produção da Fundação de Serralves/Museu de Arte Contemporânea, do Porto, vai ficar patente ao público a partir de dia 14 e até 21 de Dezembro.

Comentários

pub
pub