Secretário de Estado que nomeou primo demite-se do Governo

Carlos Martins foi presidente do Conselho de Administração da empresa Águas do Algarve de 2012 a 2015

Carlos Martins, secretário de Estado do Ambiente, demitiu-se do Governo, esta quinta-feira, 4 de Abril, após a polémica nomeação de um primo para seu adjunto, em 2016. 

A demissão de Carlos Martins, antigo presidente do Conselho de Administração da Águas do Algarve, já foi aceite pelo primeiro-ministro António Costa e por Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Transição Energética.

Apesar de estar em representação do Governo na Costa Rica, Carlos Martins enviou uma carta em que explica que, «enquanto secretário de Estado do Ambiente», agiu «sempre por critérios de boa-fé», procurando «dar o melhor para atingir os objetivos do Governo e do Ministério do Ambiente e da Transição Energética».

Ainda assim, consente que a polémica nomeação de um primo para seu adjunto «pode prejudicar o Governo, o Partido Socialista e o senhor primeiro-ministro».

João Matos Fernandes também já reagiu à demissão, emitindo uma nota em que agradece «todo o empenho profissional e político» de Carlos Martins, registando ainda «os seus relevantes sucessos, conseguidos ao longo dos mais de três anos em funções».

«De entre estes, devem destacar-se o processo de fusão dos sistemas municipais de gestão de águas, os novos planos de gestão de recursos hídricos, a condução do processo de adaptação do território às alterações climáticas e uma nova política de gestão para os resíduos sólidos urbanos, fundada nos princípios da economia circular», diz ainda.

«No contexto das políticas do Ministério, a ação generosa e esclarecida do Carlos Martins foi de importância capital e deixa um legado de futuro que iremos continuar, desenvolver e aprofundar», conclui Matos Fernandes.

Esta demissão surge depois de Armindo dos Santos Alves, primo de Carlos Martins, também já ter abandonado o Governo.

Comentários

pub
pub