Estratégia de prevenção de incêndios de São Brás com novidades em 2019

Câmara aposta num trabalho de continuidade na prevenção de incêndios

Um novo ponto de água para abastecimento de meios aéreos Hortas e Moinho e as duas novas equipas de combate a incêndios são as novidades da Estratégia de Ação na Prevenção de Incêndios Rurais para 2019 de São Brás de Alportel, que foi aprovada esta semana

O plano para este ano é marcado pela «continuidade» e «inclui um conjunto diversificado de medidas, tais como o intenso trabalho de limpeza de bermas e de manutenção da Rede Viária Florestal», segundo a Câmara de São Brás de Alportel.

Ao mesmo tempo, serão promovidas campanhas de informação e sensibilização junto da população, bem como sessões de esclarecimento e ações de sensibilização junto das comunidades rurais, sem esquecer as ações de fiscalização no terreno, que são «outro eixo fundamental desta estratégia, que tem por chave a proximidade com a comunidade».

Foi com o objetivo de estar mais próxima da população que a autarquia são-brasense fez, em 2018, um levantamento da população serrana e a georreferenciação de habitações, «que está a ser constantemente alvo de atualização».
Esta medida veio «reforçar a capacidade de reação da Proteção Civil na proteção de bens e pessoas».

 

 

«Em 2019 mantém-se a atividade da Equipa de Sapadores Florestais da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, o pré-posicionamento de uma equipa de combate a incêndios do Corpo de Bombeiros, o apoio da GNR SEPNA para assegurar o funcionamento da Torre de Vigia da Menta, os programas de voluntariado jovem para as florestas, as parcerias com a Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, com as associações de caçadores, com a Infraestruturas de Portugal, a Rede Elétrica Nacional e a EDP, a vigilância do Exército Português e está ainda prevista a execução de um protocolo com o Exército para a reparação da rede Viária Florestal», acrescentou a Câmara de São Brás de Alportel.

A defesa da floresta é uma missão que nos deve unir a todos. Todos somos precisos para defender a nossa floresta e a nossas populações. «A Estratégia de Prevenção de Incêndios que colocamos em marcha em cada ano só é possível porque contamos com a colaboração e empenho de um conjunto de entidades, a quem o município reconhece o imprescindível apoio», ilustrou Vítor Guerreiro, presidente da Câmara de São Brás de Alportel.

O edil são-brasense defendeu, por outro lado, que «é necessária uma alteração profunda no paradigma do planeamento do território, onde os excessivos constrangimentos e limitações contribuem para o abandono dos territórios florestais, aumentando o risco de incêndio».

Comentários

pub
pub