Turista em apuros numa arriba do litoral de Lagoa auxiliado pela Polícia Marítima e Bombeiros

Brasileiro de 29 anos estava a tentar descer por um carreiro na beira da arriba

Um turista que estava em apuros numa arriba do litoral de Lagoa, próxima da praia da Marinha, motivou a intervenção da Polícia Marítima e da equipa de grande ângulo dos Bombeiros lagoenses, mas acabou por safar-se pelos seus próprios meios.

Este sábado, às 16h45, um agente do Comando-local da Polícia Marítima de Portimão, em serviço na praia da Marinha, foi avisado por um praticante de stand-up paddle de que teria avistado «uma pessoa em dificuldades, com risco de queda, a meia altura numa arriba, a poente dessa mesma praia».

​Os elementos da Polícia Marítima deslocaram-se para o topo da arriba e, por se tratar de um local sem acesso pela praia, foi solicitado o apoio dos Bombeiros Voluntários de Lagoa, com uma equipa de grande ângulo.

Foi também ativada a embarcação da Estação Salva-vidas de Ferragudo e respetiva tripulação, para a eventualidade de queda.

No entanto, quando chegou ao local, o piquete da Polícia Marítima verificou que a vítima, um cidadão brasileiro de 29 anos, «que havia estado em dificuldades por ter descido um carreiro ao longo da vertente da arriba», já estava no topo da falésia em segurança, graças à ajuda de outras pessoas que estavam nas proximidades.

Apesar de este caso ter acabado bem, a Autoridade Marítima Nacional relembra que «as arribas estão em constante erosão com o risco associado de derrocadas, pelo que, por motivos de segurança, as pessoas devem manter-se afastadas das zonas de risco, nomeadamente, junto à base e o no topo das arribas». E, sobretudo, não devem tentar descer ou escalar as falésias.

Comentários

pub
pub