Algarve ajuda Seleção Nacional a enfrentar «um adversário fortíssimo»

Estádio Algarve espera lotação esgotada para receber a seleção nacional de futebol

«Um excelente teste» frente a «uma equipa fortíssima». É assim que Fernando Santos, selecionador nacional de futebol, encara a partida de preparação frente à Croácia, a disputar-se esta quinta-feira, 6 de Setembro, às 19h45, no Estádio Algarve. 

O técnico português fez, esta quarta-feira, a antevisão do encontro que vai pôr frente a frente o campeão europeu com a vice-campeã mundial de futebol. «A Croácia tem uma equipa fortíssima. Nesta altura, jogar com a Croácia é o mesmo do que enfrentar a França ou Itália», disse Fernando Santos.

A equipa croata, segundo o técnico, «vai querer mostrar a razão pela qual é apontada como candidata às provas que disputa», mas Fernando Santos espera que a sua «equipa responda bem» ao importante desafio.

Para o jogo de preparação, o treinador fez alterações na convocatória, chamando nomes como Gedson Fernandes, Pedro Mendes e Renato Sanches. Santos deixou, ainda, Cristiano Ronaldo de fora. Já a Croácia, ao invés, traz ao Algarve as grandes estrelas da equipa, como Modric (Real Madrid), Brozovic (Inter de Milão) ou Rakitic (Barcelona).

«A Croácia manteve aquilo que tem sido a base. Eu tomei uma opção um pouco diferente. Acho que este é um início de ciclo, que acaba no Euro 2020, em que vamos defender o título que temos», explicou Fernando Santos.

Para essa competição, daqui a dois anos, Portugal terá, de certeza, «algumas caras novas». «Este jogo é a oportunidade certa para que estes jogadores possam mostrar as suas capacidades, o que também não afasta os outros», disse.

Além disto, as partidas de preparação são cruciais para que «os jogadores se vão conhecendo uns aos outros». «É importante aproveitar os jogos e os treinos o mais possível», considerou o técnico campeão europeu.

Nesta conferência de imprensa, Fernando Santos revelou que vai apostar numa tática 4-3-3 para o jogo com a Croácia, possivelmente com André Silva como ponta de lança.

O treinador confessou, ainda, que votou em Cristiano Ronaldo, ausente deste jogo com a Croácia, para melhor jogador do mundo, colocando o croata Modric em segundo lugar. «Acho que o Ronaldo deveria ser o vencedor, principalmente pelo que fez na Liga dos Campeões», concluiu.

Comentários

pub
pub