Vilamoura Atlantic Tour traz «mais de 100 mil dormidas» ao Algarve

«Mais de 100 mil» dormidas ao longo das seis semanas de competição, com um impacto de «21 milhões de euros» […]

Foto de arquivo

«Mais de 100 mil» dormidas ao longo das seis semanas de competição, com um impacto de «21 milhões de euros» na economia da região. Estas são as perspetivas do Vilamoura Atlantic Tour, que se realiza de 13 de Fevereiro a 1 de Abril. 

O impacto económico do evento na região está, então, estimado em 21 milhões de euros, contando com vários milhares de visitantes que terão um impacto direto nas dormidas nos alojamentos algarvios, «assim como nos restaurantes e restante comércio da região», diz a organização.

No total, são mais de 870 mil euros em prize money, atribuídos ao longo das 24 provas que decorrem durante seis semanas de competição.

Este é o maior evento equestre europeu. Com cerca de 1200 cavalos, entre os quais 200 portugueses, o Vilamoura Atlantic Tour decorre na pista que acolhe mais provas internacionais na Europa: o Vilamoura Equestrian Centre.

A edição de 2018 do Vilamoura Atlantic Tour recebe um número recorde de cavalos participantes. Ao longo de seis semanas, serão disputadas 24 provas pontuáveis para o ranking da Federação Equestre Internacional.

O circuito estará dividido em duas partes, em que a primeira decorre entre 13 de Fevereiro e 12 de Março. Depois de uma semana de pausa, a competição regressa ao Vilamoura Equestrian Centre a 20 de Março para terminar no dia 1 de Abril.

Além das rondas tradicionais, o Vilamoura Atlantic Tour recebe ainda provas de cavalos novos, com as finais a disputarem-se na quarta semana de competição.

«O Vilamoura Atlantic Tour é o momento mais importante do ano para o desporto equestre nacional e um dos eventos de maior relevo na modalidade a nível internacional», explica António Moura, CEO do Vilamoura Atlantic Tour, acrescentando ainda que «o Atlantic Tour não é apenas um evento equestre, mas o importante agente económico, pois dinamiza a região do Algarve através do turismo num época considerada baixa».

Este ano há mais um condimento para o sucesso da prova. É que está assegurada a presença de Roger Yves Bost, campeão olímpico no Rio de Janeiro por Equipas no Concurso de Obstáculos.

Comentários

pub
pub