Odemira, Grândola e Serpa mostram as suas “riquezas” na BTL

Odemira, Grândola e Serpa vão expor as riquezas dos seus concelhos na Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre entre […]

Odemira

Odemira, Grândola e Serpa vão expor as riquezas dos seus concelhos na Bolsa de Turismo de Lisboa, que decorre entre 28 de Fevereiro e 4 de Março. Odemira e Grândola vão estar representados no stand da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, no Pavilhão 1, enquanto Serpa terá um espaço próprio, no pavilhão 2.

A Câmara de Odemira vai desvendar “Um concelho que se revela a cada passo”, «com vista a captar mais turistas nacionais e estrangeiros para o território odemirense», adianta a autarquia.

A aposta de comunicação do Município «incide na divulgação da App Descubra Odemira, onde o mapa do concelho é a base, destacando pontos de interesse e a valorização do interior do concelho, nomeadamente da Albufeira de Santa Clara».

Nesta app, os turistas podem aceder a informação sobre o território, restaurantes, alojamentos, agenda, o que fazer, um mapa interativo e uma galeria de imagens.

Odemira vai ainda promover-se «enquanto destino de excelência para férias na natureza, de aventura, desportos de mar e praia».

Os empresários do setor do turismo de Odemira também vão ser convidados a visitar a feira no dia 28 de Fevereiro. Ao longo da feira, serão oferecidos kits promocionais do concelho aos visitantes profissionais e merchandising ao público em geral.

O stand de Odemira está também integrado no Programa Kids Route, um programa de atividades para crianças (dos 6 aos 12 anos), dinamizado pelas entidades e empresas participantes na BTL, numa lógica de levar as “Crianças pelos caminhos de Portugal”.

Por seu lado, o município de Grândola vai dar a conhecer aos visitantes e ao mundo «as características ímpares do nosso território: a frente atlântica com 45 quilómetros de praias acessíveis, a preservação natural e ambiental dos habitats, a genuidade dos espaços rurais e das pequenas aldeias e o património histórico e cultural de grande relevo».

Nesta edição, a Câmara de Grândola, «aposta no enfoque para o Turismo Natureza, na promoção dos Percursos Pedestres, Birdwatching e provas desportivas», sendo que o «artesanato, vinhos, produtos regionais e gastronomia são igualmente objectos de promoção do concelho».

À semelhança de anos anteriores, o stand de Grândola vai contar com a participação de artesãos locais a trabalharem ao vivo e produtores regionais com provas de vinhos e degustações.

Muralha de Serpa

Grândola vai ainda aproveitar a BTL para promover os seus eventos de maior relevo, nomeadamente a AR PURO – Feira de Caça, Pesca e Atividades ao Ar Livre, as Comemorações do 25 de Abril, a Rota das Tabernas, a Ultra Maratona Atlântica Melides-Tróia, a Feira de Agosto e a Feira de Chocolate.

Serpa vai marcar presença na BTL apostada em divulgar «a beleza e diversidade das suas paisagens, o seu importante património edificado, histórico e arqueológico, a gastronomia tradicional e os produtos locais, assim como a tradição e cultura viva das suas gentes».

Sob o tema “Em Serpa desperta…”, o stand do Município de Serpa «visa proporcionar aos visitantes uma experiência pelo território de Serpa, em que todos os seus sentidos são postos à prova através do guia interativo Serpa Tour».

Esta aplicação foi desenvolvida para smartphones e «pretende constituir-se como uma ferramenta de apoio à exploração e descoberta do território do município de Serpa».

Nesta app, disponível em português, inglês e castelhano, os visitantes são convidados a percorrer o território do concelho, «passando por um conjunto de pontos notáveis representativos da diversidade patrimonial da região: “Pessoas”, “Paisagem”, “Edificado” e “Imaterial”».

A ferramenta permite seguir rotas pré-sugeridas pelo município ou criar as suas próprias rotas de acordo com os seus interesses. Para cada ponto notável, além de informação multimédia, os utilizadores podem, através do smartphone, «explorar conteúdos em realidade aumentada, através da recriação de eventos apresentados no seu contexto natural», conclui a Câmara de Serpa.

Comentários

pub
pub