Sindicato leva salários em atraso na Academia de Música de Lagos à ACT

O Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS/FENPROF) vai levar a questão dos salários em atraso na Academia de Música […]

O Sindicato de Professores da Zona Sul (SPZS/FENPROF) vai levar a questão dos salários em atraso na Academia de Música de Lagos à Autoridade para as Condições no Trabalho e à Inspeção Geral da Educação e Ciência.

O sindicato, que se reuniu ontem com o Delegado Regional da DGEst-Algarve, «para transmitir as preocupações e incertezas dos professores da Academia de Música de Lagos, que não recebem salários há dois meses, bem como o respetivo subsídio de férias», diz que a situação dos trabalhadores é «dramática».

O sindicato também se reuniu, no dia anterior, com a direção da AML e diz que «não existe ainda uma data concreta para a regularização do pagamento dos salários em atraso, podendo este incumprimento estender-se até Setembro».

«Sendo o Ministério da Educação uma das entidades principais que garante o financiamento da AML (através dos contratos patrocínio ao ensino artístico articulado), e estando em dia as comparticipações financeiras do ME para com a AML, entende o SPZS/FENPROF que os salários têm de ser pagos aos professores da Academia», acrescentam os sindicalistas.

O sindicato «não exclui a adoção de outras formas de luta para a defesa dos trabalhadores que poderão coincidir com a abertura do próximo ano letivo».

O presidente da direção da Academia de Música de Lagos admitiu ao Sul Informação que 92 trabalhadores deste estabelecimento de ensino têm salários em atraso desde o mês de Junho.

Comentários

pub
pub