Caravela Boa Esperança vai promover o Algarve em portos da Galiza

A caravela Boa Esperança, réplica das embarcações usadas pelos descobridores portugueses no século XV, navega, no mês de Outubro, por […]

Caravela Boa EsperançaA caravela Boa Esperança, réplica das embarcações usadas pelos descobridores portugueses no século XV, navega, no mês de Outubro, por águas espanholas para atracar em diversos portos da Galiza.

Ao leme está a Região de Turismo do Algarve (RTA) que, com esta iniciativa, pretende promover junto do público espanhol os atrativos do Algarve durante todo o ano.

A RTA, em parceria com a Fundación Nao Victoria, organização espanhola sem fins lucrativos, viaja até à Galiza num dos barcos mais emblemáticos da história de Portugal.

Depois de ter atracado na Andaluzia em Setembro, a caravela Boa Esperança iniciou a sua rota pela Galiza no dia 9 na Corunha, rumando agora a Baiona (de 13 a 16 de Outubro) e depois a Vigo (de 20 a 23).

A embarcação fará pequenas paragens em todos os portos, onde ficará atracada durante alguns dias para proporcionar ao público visitas gratuitas e um contacto mais próximo com a história do Algarve e com os seus atrativos turísticos.

«O Algarve tem vindo a promover-se no país vizinho de uma forma mais original, com o intuito de estimular o interesse do público espanhol pela oferta turística da região durante todo o ano. Espanha continua a ser um dos principais mercados emissores, que, até julho deste ano, foi responsável por 446 milhares de dormidas na região», explica Desidério Silva, presidente da RTA.

«Queremos dar a conhecer a forte ligação do Algarve com o mar mas também a sua história e gastronomia que poderá ser saboreada em cada um destes locais nos showcookings de cataplana algarvia a bordo da caravela, destinados ao trade, imprensa e a entidades oficiais locais», acrescenta Desidério Silva.

Esta réplica da caravela dos Descobrimentos, construída por especialistas que respeitaram as regras da construção naval do século XV, foi o navio de origem mourisca escolhido por D. Henrique para as suas aventuras marítimas.

Com ela, os marinheiros portugueses lograram, no século XV, dobrar o cabo da Boa Esperança, o mítico cabo das Tormentas, e abrir o caminho marítimo até ao Oriente. Mede 23,8 metros de comprimento e 6,6 metros de largo.

Comentários

pub
pub