Algarve Nature Week ruma às Quatro Águas de Tavira em 2017

A recém requalificada zona das Quatro Àguas, em Tavira, será o ponto central de nova edição da Algarve Nature Week […]

quatro águas taviraA recém requalificada zona das Quatro Àguas, em Tavira, será o ponto central de nova edição da Algarve Nature Week (ANW), que vai decorrer de 5 a 14 de Maio de 2017. A Mostra de Turismo de Natureza, momento em que as empresas, entidades e produtores locais se juntam para dar a conhecer o que fazem, vai animar este local, onde se apanham os barcos para a Ilha de Tavira, de 5 a 7 de Maio.

A data e local da próxima edição deste evento que celebra e promove a oferta de Turismo de Natureza existente no Algarve foi anunciada esta terça-feira, numa sessão que serviu para fazer o balanço da 2ª edição, que se realizou no Passeio das Dunas, em Quarteira, em Maio.

A Região de Turismo do Algarve, que lançou esta iniciativa em 2015, assumiu desde o início que a ideia era levar a ANW aos diferentes concelhos do Algarve. Compromisso que foi hoje reafirmado pelo vice-presidente da RTA João Fernandes e que a escolha de Tavira – que se segue a Faro e Loulé – confirma.

«Lançámos o desafio ao presidente da Câmara de Tavira, na medida que também ali há um investimento junto ao Mar, que [à semelhança dos lugares que antes acolheram o evento] beneficia desta caraterística de ter promovido a renaturalização e requalificação de um espaço que estava menos beneficiado», contou João Fernandes.

O vice-presidente da RTA já tinha deixado claro, durante a sessão, que a ideia é que se façam, «pelo menos, 16 edições». Ou seja, uma em cada município da região.

Para já, a aposta tem sido em espaços no litoral, com relações privilegiadas com a Ria Formosa ou o mar e em que a componente de requalificação ambiental e urbana está bem presente. Esta opção está ligada, segundo João Fernandes, ao facto de ainda se estar a procurar «consolidar o evento», o que não inviabiliza que, num futuro próximo, a ANW se realize «num concelho do interior».

 

Os números da segunda edição ajudam a perspetivar que o evento atinja, com o passar dos anos, uma dimensão e notoriedade que lhe permitam ter capacidade mobilizadora, mesmo sendo realizado em zonas de baixa densidade populacional.

 

Algarve-Nature-Week-2016_7-1024x683

De 2015 para 2016, houve um crescimento generalizado, quer ao nível do público que passou na Mostra de Natureza, o momento de interação entre os agentes económicos do setor e a população em geral, mas também ao nível das empresas que se associaram ao evento e às experiências que colocaram à disposição, durante uma semana, a  preços de feira.

Segundo revelou Duarte Padinha, da RTA, houve 68 empresas a aderir à Algarve Nature Week, entre agentes de animação turística, alojamentos e agências de viagens, estas últimas uma novidade. Em relação à 1ª edição, houve um aumento de 30 por cento no número de aderentes, com mais 16 agentes económicos envolvidos.

Isto permitiu que houvesse mais oferta e, pelo menos entre as empresas que responderam à avaliação que foi feita pela organização, mais vendas. Em 2016, foram 18 as empresas que disseram ter conseguido fazer negócios, durante o evento, enquanto 15 disseram não ter concretizado vendas. Em 2015, só 7 disseram ter feito negócio, com 26 a afirmar ter saído da feira sem vendas.

Um momento que se revelou importante para avançar com alguns negócios foi a Bolsa de Contactos Business to Business, que foi promovida pela RTA e pela Associação Turismo do Algarve em parceria com o Enterprise Europe Network, da CCDR do Algarve.

A iniciativa contou com a presença de 28 empresas e de 10 operadores turísticos internacionais e dela resultaram alguns negócios. Da parte dos operadores turísticos internacionais foi deixada a garantia de que têm «interesse em vender a oferta de Turismo de Natureza e Ativo algarvia aos seus clientes», segundo a diretora da ATA Dora Coelho.

A tendência de crescimento repetiu-se na Mostra de Turismo de Natureza, que contou com cerca de 8 mil visitantes, mais 2 mil que no ano anterior. No Passeio das Dunas, em Quarteira, estiveram, ao longo dos três dias, 67 expositores, mais nove que em 2015, entre agentes de animação turística, produtores locais, instituições e espaços de comida e bebidas.

Em 2017, acredita João Fernandes, a evolução vai continuar.  «Esse crescimento foi uma realidade da 1ª para a 2ª edição. É natural que se repita na 3ª edição», acredita. Para isso contribuirá o aumento da oferta turística nesta área, no Algarve, mas também o facto de «os residentes também estarem a apostar numa vida mais ativa e em contacto com a natureza».

algarve nature weeks

Comentários

pub
pub