Sindicato acusa ministra de ser «insensível» aos atrasos na compensação salarial a pescadores

O Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Sul (STPS) acusou a ministra da Agricultura e do Mar de ser «absolutamente […]

sardinha_traineiraO Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Sul (STPS) acusou a ministra da Agricultura e do Mar de ser «absolutamente insensível aos dramas que reinam nos agregados familiares» dos pescadores que ainda aguardam o pagamento das compensações salariais ao abrigo do Regime de Apoio à Cessação Temporária das Actividades de Pesca da Sardinha com Recurso a Artes de Cerco.

Numa missiva enviada esta quinta-feira a Assunção Cristas, os sindicalistas questionam o membro do Governo: «Sabe V.Ex.ª, não sabe certamente, que há camaradas nossos que ainda não receberam as compensações salariais previstas neste Regulamento?».

Sempre no mesmo tom, o sindicato acusa a ministra de insensibilidade perante o que consideram um drama dos pescadores afetados, «resultante do facto de há mais de 90 dias não entrar nas suas casas qualquer tipo de rendimentos».

«Sabe V.Ex.ª, não sabe certamente, as dificuldades de ordem económica porque estão passando estes nossos camaradas para poderem pagar a renda da casa, a água, a luz, o gás e outras despesas, nomeadamente com os seus filhos? Não, não sabe Senhora Ministra!», continua o STPS.

Uma portaria publicada a 2 de outubro de 2014, determina que, em virtude da paragem forçada da frota de pesca à sardinha, os marinheiros/pescadores das embarcações afetadas teriam direito a compensações salariais «no valor de 20 euros por dia».

Comentários

pub
pub