Região de Turismo pede «medidas de prevenção» para evitar descargas de esgotos nas praias

A descarga acidental de esgotos que levou à interdição de duas praias de Quarteira «não é situação que possa colocar […]

A descarga acidental de esgotos que levou à interdição de duas praias de Quarteira «não é situação que possa colocar em causa a imagem da região», por se tratar de um caso pontual e localizado, mas deverá sempre ser evitada a todo o custo e alvo do máximo de  medidas prevenção, considerou o presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA).

Contactado pelo Sul Informação, Desidério Silva considerou que esta «foi uma questão mais local, que teve um impacto reduzido a nível regional». Ainda assim, alertou que «é importante que haja cuidado com estas situações».

«Compete às entidades responsáveis controlar isso. Devem implantar todas as medidas de prevenção e controlo, de modo a que aconteçam o mínimo possível. É certo que foi uma situação pontual, que não se controla. Mas, é evidente, este tipo de coisas nunca são imagens positivas para uma região turística», acrescentou Desidério Silva.

A descarga de esgotos que afetou as praias do Forte Novo e Quarteira Nascente, neste domingo, foi acidental e deveu-se a uma avaria na Estação Elevatória da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) Quarteira Nascente. Um problema que acabou por ser resolvido em poucas horas e que não há conhecimento que tenha causado problemas aos banhistas que estiveram nessas praias no domingo de manhã.

É expectável que amanhã, terça-feira, a interdição seja levantada, a partir do momento em que passem as 48 horas que a lei impõe de interdição, nestes casos e assumindo que as análises à água hoje recolhida ajudam.

Comentários

pub
pub