pub
Imprimir

Mergulho nas águas do Arade ajuda a apurar qualidade de 3200 garrafas de vinho de Lagoa

Vinho submerso de Lagoa_01Aberta a comporta, a água sai rapidamente, diminuindo quase meio metro de altura e deixando à vista as oito caixas de metal, onde estão acondicionadas as 3200 garrafas. Dois homens entram dentro de água, para prenderem o gancho da enorme grua, que vai depois içar, uma a uma, com cuidado, essas caixas, depositando-as na margem.

Quando a primeira caixa é içada e depositada, ainda a escorrer água, Fernando Leitão, presidente da adega cooperativa Única, é o primeiro a chegar junto das garrafas, cobertas com uma fina película de lama. «Vamos lá a ver como isto ficou», diz, com um sorriso.

A ele juntam-se Emídio Paias, da empresa «From Algarve», Luís Encarnação e Francisco Martins, respetivamente vereador e presidente da Câmara de Lagoa, Carlos Garcias, presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve, bem como dezenas de outras pessoas que assistiam à retirada das 3200 garrafas de vinho tinto que foram deixadas a estagiar três meses, no fundo de um braço do rio Arade, no Sítio das Fontes, em Estômbar (Lagoa).

Dentro das garrafas, com o gargalo lacrado a vermelho (para proteger a rolha de cortiça), está um Lagoa Tinto Reserva 2014, da Adega Única, feito com as castas aragonês, periquita/castelão, cabernet e «um toque de alicante-bouschet». É um vinho feito a partir de «vinhas velhas», «com grande potencial de evolução e de envelhecimento», como explica o enólogo João do Ó Marques. «São vinhos que podem parecer muito ásperos», quando são jovens, «mas é isso que lhes permite evoluir».

Depois de terem estagiado 14 meses em barricas de carvalho francês, as garrafas foram submersas na água do Rio Arade durante pouco mais de três meses.

 

Vinho submerso de Lagoa_13

E porquê submergi-los na água do rio? Para «simular as condições ideais de envelhecimento, de temperatura, de pressão, de condições constantes», explicou o enólogo.

Se este Lagoa Tinto Reserva 2014, de 14º de graduação, é ou não um excelente vinho – ele que, entretanto, mesmo sem o estágio debaixo de água, já ganhou uma medalha de prata num concurso internacional – irá ver-se na próxima Fatacil, em Agosto próximo, anunciou Luís Encarnação.

O vereador, responsável pela intensa programação de Lagoa Cidade do Vinho 2016, salientou que esta que é a primeira vez que um vinho do Algarve é sujeito a submersão para ajudar no seu processo de envelhecimento, resulta «de um desafio que foi lançado à Câmara por parte da Adega Única e da From Algarve e que nós aceitámos logo, com todo o prazer».

Momentos antes de começar a emersão das garrafas, Luís Encarnação confessava estar um pouco ansioso pelo resultado da operação. «Depois de emergir as garrafas, este vinho vai ser sujeito a um processo de avaliação, para saber se temos aqui, de facto, um vinho melhor».

Emídio Paias, da «From Algarve», que, em conjunto com a Adega Única, vai comercializar este Lagoa Reserva Tinto 2014 muito especial, manifestou a sua expectativa em relação ao resultado final da operação e fez questão de salientar a sua alegria pelo facto de a submersão das 3200 garrafas ter sido feita «no meu concelho de Lagoa, na freguesia de Estômbar que me viu nascer e no Sítio das Fontes, local onde dei as primeiras braçadas».

Quanto a Fernando Leitão, presidente da adega cooperativa Única, admitiu a «fase muito difícil que a adega está a viver», mas salientou que «nunca rejeitamos um desafio». «Depois de ver as garrafas a sair de dentro de água, ainda fiquei mais curioso».

 

Vinho submerso de Lagoa_03

Enquanto a avaliação, até em laboratório, ao vinho que estagiou mais de três meses nas águas do Rio Arade não é feita, resta esperar. E fica a certeza de que, se a operação não der resultados visíveis a nível da qualidade do vinho, é pelo menos uma grande estratégia de marketing.

Quem quiser comprar este vinho especial terá de esperar ainda cerca de mês e meio, até à Fatacil, a grande feira que tem lugar em Agosto.

E aí até haverá lugar a outra surpresa, como fez questão de revelar o vereador Luís Encarnação, perante as dezenas de convidados: «iremos tentar quebrar o recorde do maior brinde de sempre, para o Guinness Book of Records, brindando com este Lagoa Reserva Tinto de 2014». Será o mesmo vinho, embora de garrafas que não estiveram submersas no rio Arade. «Vamos quebrar o recorde do Guinness, brindado todos com vinho de Lagoa».

 

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
pub