São Brás de Alportel já revelou segunda fase do Monumento à Aleluia

O terceiro e último elemento será revelado na Páscoa do próximo ano

A segunda fase do monumento à Procissão de Aleluia foi inaugurada esta sexta-feira, 17 de Maio, revelando assim mais um elemento do conjunto de três peças.

Durante a cerimónia, Vitor Guerreiro, autarca de São Brás de Alportel, sublinhou que a Procissão da Aleluia é muito mais do que a sua faceta de atratividade turística porque está no ADN dos são-brasenses.

«Acima de tudo uma homenagem à gente são-brasense», destacou .

Convidado para a inauguração foi também Frederico Tatá Regala, diretor da Unidade de Cultura da CCDR do Algarve, que considerou absolutamente notável a forma como a tradição da Festa da Aleluia passa de geração em geração.

Uma festa que, nas suas palavras, «merece um reconhecimento muito mais amplo ao nível nacional» pela forma como se diferencia das demais procissões.

 

 

«Desde a inauguração do primeiro elemento do monumento, a 21 de Janeiro deste ano, que este é um novo ponto de atratividade turística do concelho que procura valorizar a cultura e o património imaterial local, ao mesmo tempo que se assume uma homenagem à Procissão da Aleluia, momento maior da comunidade são-brasense que é celebrado anualmente no domingo de Páscoa e que junta todos os filhos seus, dispersos pelo mundo e atrai milhares de visitantes», frisa a autarquia.

Os dois elementos artísticos já expostos foram produzidos em bronze e ilustram, em tamanho real, a figura de dois homens são-brasenses (pai e filho), a participar na Procissão da Aleluia.

O terceiro elemento, que será dado a conhecer na Páscoa de 2025, representa o neto.

Nas palavras de Marlene Guerreiro, São Brás é «uma terra com memória» e este monumento foi erguido com a convicção de que preservar a cultura é «cuidar das nossas raízes e é cuidar do nosso futuro».

Os três elementos artísticos são da autoria de Manuel Belchior e Teresa Paulino.

 

 



Comentários

pub