Percursos pedestres mostram «um outro Olhão» a partir de Maio

Olhão aproveitou BTL para lançar um novo produto turístico

Dar a conhecer um «outro Olhão», longe da Ria, mas «rico em património». O projeto “Aqui Tão Perto” vai ser lançado «no final de Maio, princípio de Junho» e contempla seis percursos pedestres pelo interior do concelho. 

O Município aproveitou a presença na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) para apresentar, na passada quinta-feira, 14 de Março, este novo projeto.

O objetivo passa por proporcionar a quem visita Olhão uma nova experiência, despertando o interesse sobre o património cultural e natural do concelho.

Hugo Oliveira, diretor do Museu Municipal, explicou aos jornalistas que «o projeto estará no terreno, em princípio, no final de Maio, início de Junho».

Por agora, os percursos ainda não estão prontos, mas já se conhecem os contornos de alguns. Um dos trilhos é o Caminho dos Romanos e Cerro da Cabeça (Moncarapacho/Fuzeta) e percorre alguns troços de calçada romana, datados dos séculos I e II.

O percurso passa pelo «Cerro da Cabeça, palco das mais intrigantes lendas algarvias e importante marco do barrocal algarvio, devido às suas formações cársicas, que proporcionam um ambiente único para observação de uma grande quantidade de espécies animais, que o tornam um geomonumento de relevo no contexto algarvio», segundo os promotores.

Já o Caminho da Água faz-se por Pechão e é um percurso que traz à reflexão a importância deste recurso natural.

O percurso estende-se «paralelamente à ribeira de Belamandil, principal fonte de abastecimento de outrora. Ao longo do trilho, podemos observar alguns engenhos como, por exemplo, a Fonte Velha, a Fonte Nova, o Poço do Lagar, ou o Poço da Amendoeira», diz a autarquia olhanense.

Para divulgar este projeto, a Câmara e o Museu Municipal vão disponibilizar um «catálogo, com todos os percursos, disponível em quatro línguas, que poderá ser recolhido em locais chave, como o Museu, a Câmara e as Juntas de Freguesia de forma gratuita», adiantou Hugo Oliveira, na apresentação do projeto.

«O grande objetivo passa por mostrar um outro lado de Olhão e do concelho, chamando a atenção para outro tipo de património», considerou ainda.

«Diz-se de Olhão que é uma terra que se deita sobre o mar, abraçada ao barrocal. De facto, o nosso concelho é fértil no que diz respeito à riqueza das paisagens, que vão do barrocal ao litoral, passando, não esqueçamos, pela serra, o que nos confere uma multiplicidade ímpar em termos de diversidade paisagística e biodiversidade», sublinhou, por sua vez, António Pina, presidente da Câmara de Olhão, na Bolsa de Turismo de Lisboa.

«É essa riqueza que queremos partilhar com quem nos visita, convidando a descobrir que a beleza e os atrativos do concelho não se esgotam na faixa litoral», concluiu o autarca.

O Município de Olhão aproveitou ainda o maior certame nacional de turismo para apresentar a profissionais e público em geral o cartaz da edição de 2019 do Festival do Marisco, que este ano decorre de 9 a 14 de Agosto.

Matias Damásio, com Aurea e HMB como convidados, um Tributo aos Queen, Paula Fernandes, Ludmilla e Resistência são nomes confirmados. 

Comentários

pub
pub