PSD/Algarve acusa PS de «instrumentalizar» visita do ministro da Saúde, Jorge Botelho espantado

O PSD/Algarve acaba de manifestar, em comunicado, a sua «profunda perplexidade» pelo facto de, na reunião de ontem entre o […]

Reunião da AMAL com o ministro da Saúde - foto postada no Facebook por Rui André, vice-presidente da AMAL
Reunião da AMAL com o ministro da Saúde – foto postada no Facebook por Rui André, vice-presidente da AMAL

O PSD/Algarve acaba de manifestar, em comunicado, a sua «profunda perplexidade» pelo facto de, na reunião de ontem entre o Ministro da Saúde e a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) «somente terem estado presentes deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Faro à Assembleia da República que integraram a lista do PS».

«Todos os demais deputados eleitos pelo referido círculo, respetivamente do PSD, CDS, PCP e Bloco de Esquerda, não se encontravam presentes», afirmando os social-democratas algarvios que pelo menos «os deputados do PSD, não foram convidados a estar presentes».

Por isso, o PSD/Algarve exige «explicações ao Governo» e acusa o Partido Socialista de «instrumentalização», por alegadamente promover «reuniões com instituições plurais e democráticas com representantes das várias cores partidárias, como a AMAL, onde só convida a estarem presentes os deputados eleitos pelo PS».

O mau estar dos deputados social-democratas já se tinha feito sentir ontem, quando o parlamentar Cristóvão Norte comentou a foto sobre a reunião postada por Rui André, vice-presidente da AMAL, presidente da Câmara de Monchique e autarca do PSD, no seu mural pessoal de Facebook, dizendo «A que título é que a AMAL convidou apenas os deputados do PS a estarem presentes? É inacreditável».

No entanto, o próprio Rui André desvaloriza o caso, já que, contactado ontem à noite pelo Sul Informação, explicou que «os deputados do PS estiveram na reunião com o senhor ministro apenas porque faziam parte da comitiva». Ainda assim, o edil social-democrata de Monchique admite que «os dois deputados do PS ficaram sentados numa posição de grande destaque na mesa».

De facto, como se pode ver na foto acima, António Eusébio e Luís Graça, os dois parlamentares algarvios socialistas, sentaram-se ao lado de Rui André, vice-presidente da AMAL, e ainda antes do vereador João Rodrigues, que representava o presidente da Câmara de Vila Real de Santo António.

Reunião entre AMAL e ministro da Saúde - foto postada por Jorge Botelho, presidente da AMAL, no Facebook
Reunião entre AMAL e ministro da Saúde – foto postada por Jorge Botelho, presidente da AMAL, no Facebook

Quem está espantado com esta polémica é Jorge Botelho, o edil socialista de Tavira que é também presidente da AMAL.

«Para a reunião entre a AMAL e o senhor ministro só foram convidados os 16 presidentes de Câmara do Algarve, mais ninguém. Da AMAL, só seguiram esses 16 convites, nem mais um», garantiu, em declarações ao Sul Informação.

Então como é que os deputados socialistas apareceram na reunião? «O senhor ministro trouxe consigo uma comitiva, que já antes tinha estado na cerimónia da tomada de posse do conselho de administração do CHA, no hospital de Faro. Dessa comitiva, faziam parte os dois deputados, mas também muitas outras pessoas, como o secretário de Estado, os presidentes dos Centros Hospitalares do Alentejo e de Lisboa Norte, o presidente da ARS, dirigentes intercalares da administração pública da Saúde. E todos eles estiveram na reunião», explicou Jorge Botelho.

«Os deputados apareceram e não foram postos na rua. Havia lugares para se sentarem e sentaram-se, tal como todos os outros membros da comitiva. Nós não pomos ninguém na rua!», frisou o presidente da AMAL.

Jorge Botelho conclui: «Se tivessem aparecido deputados de outros partidos, nomeadamente do PSD, até porque se estava a discutir assuntos que eram do interesse de todos os algarvios, teriam entrado na reunião e estariam sentados à mesa, como todos os outros».

A questão é que, para além de António Eusébio e Luís Graça, deputados eleitos pelo PS, mais nenhum parlamentar algarvio participou na visita do ministro da Saúde ao Algarve, apesar da importância do que estava a ser discutido e foi anunciado.

Comentários

pub
pub