Paulo Gonçalves foi transportado de helicóptero para hospital após queda e desiste do Dakar

O piloto português Paulo Gonçalves está oficialmente fora de prova no Dakar2016, depois de uma queda hoje, na 11ª etapa, […]

paulo gonçalvesO piloto português Paulo Gonçalves está oficialmente fora de prova no Dakar2016, depois de uma queda hoje, na 11ª etapa, entre La Rioja e San Juan, na Argentina. “Spedy” foi encontrado inconsciente pouco depois do Ponto de Controlo 2 e acabou por ser evacuado de helicóptero para o hospital mais próximo, para ser submetido a observação médica.

Segundo a publicação da sua assessoria na página de Facebook do piloto de Esposende, quando foi transportado para o hospital, Gonçalves estava «consciente».

O campeão mundial de todo-o-terreno de 2013, natural de Esposende, que esteve quatro dias na liderança na classificação de motas do Dakar2016, partiu hoje no 8º lugar da classificação, depois de a organização o ter penalizado em 39.56 minutos.

Nos últimos dias, as coisas andavam a correr mal a Paulo Gonçalves: sofreu uma primeira queda na 8ª etapa, depois, na 10ª etapa, teve um problema de motor que o atrasou imenso e quase o fez desistir, acabando por ser salvo graças à anulação de parte da “especial” do dia, devido às elevadas temperaturas, falta de segurança e dificuldades acrescidas para o pelotão. Mas a segunda queda, esta quinta-feira, ditou mesmo o seu afastamento da prova.

No sábado, durante a 7ª etapa, Paulo Gonçalves interrompeu a sua própria prova, para ficar cerca de 11 minutos junto ao austríaco Matthias Walkner (KTM), que tinha sofrido uma queda e partido uma perna.

Com isso, o português tinha perdido a liderança da classificação geral de motas, depois de ter sido 31º na tirada.

Mas a organização acabou por premiar o fair-play de Paulo Gonçalves, que, após os ajustes, acabou classificado no 3º lugar da etapa, a 1.56 minutos do vencedor, o francês Antoine Meo (KTM), e a três segundos do seu companheiro de equipa, o argentino Kevin Benavides (Honda).

O resultado revisto da etapa de sábado manteve o português no topo da classificação geral, com 3.12 minutos de vantagem sobre o australiano Toby Price (KTM), 2º classificado.

Depois do abandono de Carlos Sousa (Mitsubishi), nos carros, na 5ª etapa, devido a despiste, e do algarvio Ruben Faria, na 6ª etapa, devido a uma queda que lhe provocou um fratura no pulso direito e lesões na boca, há apenas três portugueses que continuam no Dakar, todos nas motos. São eles Hélder Rodrigues (Yamaha), que hoje, à partida da etapa, era 6º da Geral, Mário Patrão (KTM), que era 16º, e Pedro Bianchi Prata (Honda), que era 61º.

Comentários

pub
pub