Congresso em Monchique debate o medronho, fruto de mil e um usos que até faz bem à saúde

Uma investigação feita pela Universidade de Aveiro e divulgada no fim do ano passado conclui, cientificamente, aquilo que muita gente […]

medronhoUma investigação feita pela Universidade de Aveiro e divulgada no fim do ano passado conclui, cientificamente, aquilo que muita gente já sabia, mas de forma empírica: que o medronho traz benefícios para a saúde.

Mas calma! Não se ponha já a emborcar copinhos de medronho. O que se está aqui a falar não é da aguardente, mas do fruto em si. A caracterização química detalhada do medronho, feita pelo Departamento de Química daquela universidade, «destaca a presença de ácidos gordos insaturados, nomeadamente ómega 3 e 6, fitoesteróis e triterpenóides». Tudo compostos com importante atividade biológica, capazes de evitar os radicais livres responsáveis por doenças como o cancro, de controlar os níveis de colesterol e de melhorar a saúde da pele e dos ossos.

Sílvia Rocha, investigadora da equipa responsável pelo estudo, é, precisamente, uma das participantes na primeira edição do Congresso do Medronho, que vai decorrer esta sexta-feira, dia 20, ao longo de todo o dia, antecedendo a abertura da Feira do Medronho, em Monchique.

«Medronho – Um Produto de Excelência» é o tema do congresso, que se vai realizar entre as 9h00 e as 18h30, na Multibox, um espaço montado no Heliporto de Monchique.

A plantação do medronheiro, em especial para a produção de aguardente, é vista, pelos promotores do congresso, «como uma alternativa económica um pouco por todo o país, assumindo no Sul uma expressão crescente, com o aumento da sua produção e número de produtores, muitos dos quais jovens, que apostam aqui o seu futuro».

As características do território serrano e dos recursos existentes «originam produtos de qualidade invulgar, com uma clara valorização do mercado e dinamização económica do território».

Canequinhas da Casa do Medronho
Canequinhas da Casa do Medronho

Para dar a conhecer as potencialidades do medronheiro, a realidade da cultura do medronho e promover o aproveitamento enquanto fruto e nas suas diferentes aplicações, a Câmara de Monchique decidiu organizar o Congresso «Medronho – um Produto de Excelência» que marca assim o arranque do Festival.

Ao longo de uma jornada intensa de trabalho, vai ser debatido o medronho e o medronheiro nas suas diversas vertentes, desde a produção de frutos, a sua importância para a floresta, as diferentes utilizações, desde as mais tradicionais (como a produção de aguardente), até outras mais inovadoras, na doçaria, na gastronomia, na produção de compotas ou até em fresco. Estará também em foco, o processo de certificação da aguardente de medronho e da criação de uma IGP.

Para debater tudo isto, o Congresso vai reunir entidades e especialistas, que, pelo seu conhecimento científico e tecnológico, irão contribuir para a projeção do medronho nas suas múltiplas vertentes, fazendo deste um momento crucial de discussão e reflexão, onde se valoriza o passado deste produto, mas sobretudo se projeta o seu futuro.

A inscrição no Congresso deve ser feita até hoje, 18 de novembro, através do email infos@cm-monchique.pt. Custa 5 euros, que deverão ser pagos no ato da credenciação.

A inscrição inclui também a entrada no Festival do Medronho, que decorre nos dias 21 e 22 de novembro, e o acesso às restantes atividades que compõem o programa.

 

Programa do Congresso

Casa do Medronho_Marmelete_2109h00 – Receção aos participantes

09h30-10h00 – Sessão de Abertura
. Fernando Severino – Diretor Regional de Agricultura e Pescas do Algarve;
. José Paulo Nunes – Presidente da APAGARBE – Associação de Produtores de Aguardente de Medronho do Barlavento Algarvio;
. Graça Batalim – Grã-Chanceler da Confraria do Medronho de Monchique “Os Monchiqueiros”;
. Rui André – Presidente da Câmara Municipal de Monchique.

10h00-11h15 –Painel I – «A Importância do Medronheiro»
Moderador: Fernando Severino – Diretor Regional de Agricultura e Pescas do Algarve
«A seleção de plantas, a sua importância e apresentação de resultados»
Filomena Gomes – ESAC – Escola Superior Agrária de Coimbra
«O Medronheiro, a produção e os nutrientes»
Rosinda Pato – ESAC – Escola Superior Agrária de Coimbra
«O que fazer para melhorar a qualidade do medronho»
Rui Maio Sousa – INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária- Lisboa

11h15-11h30 – Intervalo

11h30-12h45 –Painel II «Medronheiro: fonte / fruto de riqueza»
Moderador: Emílio Vidigal – Presidente da ASPAFLOBAL – Associação dos Produtores Florestais do Barlavento
. “Plantações de Medronheiros em Pomar
Carolina Gama – Cooperativa Portuguesa do Medronho
.”Novos Desafios para o Medronheiro
Ricardo Jacinto – Corte Velada Investigação

12h45-14h30 – Almoço

14h30-16h00 – «Medronho – um prazer saudável»
Moderador: José Paulo Nunes – Presidente da APAGARBE
. “Qualidade e potencial do medronho para consumo em fresco ou transformação
Dulce Antunes e Adriana Guerreiro- Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade do Algarve
. “Qualidade da aguardente de medronho
Ludovina Galego – Instituto Superior de Engenharia – Universidade do Algarve
. Valorização do medronho português (Arbutus unedo L.) enquanto fonte de compostos benéficos para a saúde humana
Sílvia Rocha – Departamento de Química – Universidade de Aveiro

16h00-16h15 – Intervalo

16h15-18h00 – Painel IV – «Aguardente de Medronho, uma história que se bebe»
Moderador: Elisabete Rodrigues – Diretora do Sul Informação
.“O Processo de Certificação do Medronho do Algarve
Carlos Garcias – Presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve
. “As Forças das Marcas: Autenticidade, História e Emoção”
Ana Cristina Guilherme – Mrs Brand
. “Arte Gastronómica – Novos produtos à base do medronho
João Dias – Mestre Cacau

18h30 – Encerramento do Congresso.

Comentários

pub