Planos para gerir ruído nas estradas EN125, IC4 e EN396 estão em discussão pública

Até dia 9 de Agosto

EN125 na zona de Altura – Foto: Rodrigo Damasceno | Sul Informação

Os Planos de Ação para gerir os problemas e efeitos do ruído das estradas EN125, ER125, IC4, EN125-10, EN395, EN396, todas no Algarve, estão em discussão pública no portal Participa, desde 1 de Julho e até dia 9 de Agosto.

Estas estradas atravessam os concelhos algarvios de Vila do Bispo, Lagos, Portimão, Lagoa, Silves, Albufeira, Loulé, Faro, Olhã, Tavira, Castro Marim e Vila Real de Santo António.

Em discussão estão os Planos de Ação relativos ao Ruído de Tráfego na ER125/EN125, entre a Rotunda 2 de Tavira (Acesso A22) e Altura (Acesso A22), bem como entre Olhão (Rotunda de Olhão Nascente) e a Rotunda 2 de Tavira (Acesso A22), e ainda do Nó de S. Lourenço ao Nó de S. João da Venda.

Também os planos da EN396, de Loulé ao Nó da A22 (Loulé 1), e do IC4, de Faro (Aeroporto) a Faro Poente estão em período de discussão pública.

De acordo com os documentos disponíveis, no troço da EN125 em apreço, as zonas com níveis sonoros superiores aos limites regulamentares, com necessidade de proteção, situam-se em Conceição, Santa Rita, Nora, Vila Nova de Cacela e Altura.

Deverão ser implementados dois tipos de medidas, umas de redução na fonte de ruído, que passa pela diminuição das velocidades de circulação e implemtação de uma camada de desgaste na via que absorva o ruído, outra de redução no meio de propagação do ruído, através da instalação de barreiras acústicas.

Os projetos dos Planos de Ação submetidos a discussão podem ser consultados por qualquer interessado, no portal Participa, clicando aqui, ou na sede da Rotas do Algarve Litoral, situada na Rua Julieta Ferrão, nº 10 – 6º, 1600-131 Lisboa, bem como nos serviços das Câmaras Municipais de Albufeira, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Olhão, Portimão, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António.

 

 

Leia mais um pouco!
 
Uma região forte precisa de uma imprensa forte e, nos dias que correm, a imprensa depende dos seus leitores. Disponibilizamos todos os conteúdos do Sul Infomação gratuitamente, porque acreditamos que não é com barreiras que se aproxima o público do jornalismo responsável e de qualidade. Por isso, o seu contributo é essencial.  
Contribua aqui!

 



Comentários

pub