“Deixa Arder” dá voz a quem em 2021 viveu os incêndios do sotavento algarvio

Curta-metragem documental é apresentada no dia 15

«Só conseguimos ver aviões no outro dia, depois de já estar quase tudo apagado». «Aqui, no Curral, ninguém teve ajuda, não foi capaz ninguém de vir». 

Os testemunhos são de habitantes da Serra de Tavira, que em 2021 viveram de perto o terror dos incêndios e agora dão o seu testemunho num documentário que procura dar voz a quem perdeu quase tudo.

«Num território alargado e de difícil acesso, para lá dos limites territoriais concelhios, entre Vila Real de Santo António, Castro Marim e Tavira, a vasta área ardida expôs carências, dificuldades e o exponencial fenómeno de desertificação, em que os ecos distantes das populações (que resistem) apenas se fizeram sentir pela densa e prolongada coluna de fumo negro, que interrompeu a paisagem e a tranquilidade no litoral», frisam os responsáveis do projeto, que se insere no “Activar Abril”, promovido pela Associação Ecotopia Activa e no âmbito do programa ‘EQUINÓCIOS’ do Município de Tavira.

“Deixa Arder” é uma curta-metragem documental que surge como ponto de partida para o debate e a reflexão sobre os incêndios e a gestão sustentável do território.

O trabalho será apresentado no próximo dia 15 de Julho, às 18h00, nas sedes dos Clubes de Caçadores dos Castelos e da Corte António Martins, em Tavira.

A apresentação conta ainda com uma mesa-redonda onde convidados e público poderão interagir.

 

 



Comentários

pub