Projeto E-STEAM promove a igualdade em Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática

A igualdade de género é um tema atual e, como tal, não pode estar afastado das Escolas

O Agrupamento de Escolas de Silves está a coordenar, desde Outubro de 2018, o projeto Erasmus+ E-STEAMEquality in Science, Technology, Engineering, Art and Mathematics, que envolve cinco países parceiros, a saber, Portugal, Espanha, Grécia, Roménia e Bulgária.

Este projeto, segundo explicam os professores Nuno Garção e Ana Bio, procura «estabelecer sinergias entre as escolas e o mercado de trabalho para o envolvimento significativo das meninas na educação STEAM (através de um programa de mentoria de jovens alunas); desenvolver uma plataforma virtual como centro de recursos para soluções de aprendizagem práticas e inovadoras, complementando os currículos das escolas; explorar e disseminar atividades personalizadas promovendo o uso da plataforma».

Como explicam os seus promotores, «a igualdade de género é um tema atual e, como tal, não pode estar afastado das Escolas, nem dos currículos, mais ainda quando se perspetiva que estereótipos culturais, familiares e profissionais de género podem condicionar as opções de escolha das mulheres nas carreiras STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática). Segundo vários estudos, estas profissões são as mais bem pagas e, principalmente dominadas por homens».

O projeto está a ser desenvolvido em parceria com Fundación Universitat Jaume I – Empresa (Espanha), Fundatia Profissional (Roménia), Institute of Entrepreneurship Development (Grécia), First Private School Leonardo da Vinci Ltd (Bulgária) e Dimitrie Cantemir University of Targu Mures (Roménia).

Durante o período de vigência do projeto já se realizaram três reuniões internacionais (uma delas em Silves) e um conjunto vasto e importante de iniciativas de onde têm resultado relatórios e materiais de apoio aos mentores e professores na abordagem do tema em contexto de educação e acompanhamento de alunos.

Em cada um dos países, o projeto conseguiu captar a atenção e a curiosidade de várias instituições e de mulheres com profissões nas áreas STEAM que se disponibilizaram a orientar um programa de mentoria de seis meses criado pela parceria do projeto E-STEAM.

O programa, que está agora a meio, tem permitido mostrar às alunas as áreas de valência e a atividade das mentoras, a sua experiência profissional e pessoal enquanto mulheres e tem proporcionado um espaço onde as alunas podem questionar as suas mentoras sobre os seus medos, opções e potencialidades, de acordo com o programa pré-estabelecido.

O programa tem-se realizado através de uma plataforma moodle internacional gerida pelo AES.

Em alguns casos, tem sido ainda possível agendar sessões em que as alunas têm visitado o local de trabalho das suas mentoras e reunido com elas nesse ambiente profissional.

Atualmente, nesta atividade, nos cinco países parceiros, estão envolvidas 61 mentoras das áreas STEAM, 12 em cada país, que estão a desenvolver o programa de mentoria para 122 alunas, que vão desde o ensino básico (1.º ciclo) ao ensino universitário, passando por todos os ciclos.

Em Portugal, o público-alvo são as alunas do 9º ano de Escola E.B. 2,3 Dr. Garcia Domingues e estão envolvidas mentoras com carreiras de destaque nas áreas referidas, em instituições como a Câmara Municipal de Silves, Instituto Piaget de Silves, CATIM – Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica, Instituto Superior de Agronomia – Lisboa, Contentserv Technologies Lda, Geek Girls Portugal, Turbine Kreuzberg PT, Alexandra dos Santos Designer, Câmara Municipal de Lagoa e MTL – Madeiras Tratadas, Lda.

O consórcio do projeto Erasmus+ E-STEAM concluiu, no mês passado, a elaboração do currículo e do programa de treino que apresenta várias sugestões de trabalho para abordar o assunto dos estereótipos de género na prática profissional dos professores e um elevado número de atividades que estes poderão usar na abordagem do tema com os seus alunos.

Atualmente, a instituição parceira grega está a transpor esse programa de treino para uma plataforma digital internacional de formação de professores (Athena) e, no mês de Março, cerca de 60 professores dos cinco países receberão formação baseada nessas orientações, propondo-se que usem junto dos seus alunos as atividades sugeridas.

Com esta iniciativa pretende-se que os profissionais de educação ganhem consciência das suas ações e estereótipos pois poderão condicionar as escolhas dos alunos no futuro e, por outro lado, trabalhem com eles as questões de igualdade de género. Em Portugal, serão envolvidos cerca de 13 professores da Escola E.B. 2,3 Dr. Garcia Domingues.

A Agência Nacional Erasmus+ portuguesa tem demonstrado muito interesse e curiosidade pelo projeto e tem acompanhado de perto o seu desenvolvimento e implementação.

Até ao final do projeto, previsto para Setembro de 2020, o consórcio pretende apresentar um relatório final aos decisores políticos, diretores de Agrupamentos de Escolas, diretores de centros de formação e entidades de educação nacionais e internacionais sobre o desenvolvimento do projeto e disponibilizar para uso gratuito o programa de treino e acompanhamento de alunos, para mentores, professores e orientadores vocacionais.

 

Comentários

pub
pub