PADRE ajuda Alcoutim a atrair mais empresas para o Parque Industrial

Câmara vai «criar vida, para atrair mais vida»

A Câmara de Alcoutim vai avançar com a construção de um pavilhão no Parque Industrial do município e vai contar com a ajuda financeira do PADRE – Plano de Ação de Desenvolvimento de Recursos Endógenos para levar a cabo esta obra de cerca de 232 mil euros.

A aposta do município visa, «no fundo, criar vida, para atrair mais vida», explicou ao Sul Informação o presidente da Câmara de Alcoutim Osvaldo Gonçalves.

«É quase uma solução chave na mão, para quem aqui se queira aqui instalar. Poderá até ser mais do que uma empresa, depende de muitas coisas, da dimensão e do tipo de negócio, entre outras. Mas creio que depois do espaço estar concluído e preparado para arrendamento, interessados não faltarão», afirmou.

Para concretizar esta obra, a Câmara de Alcoutim submeteu uma candidatura ao PADRE para «construção de um edifício onde se possa instalar uma empresa ou um empreendedor local, que permita a criação de empregos ou do auto emprego, o aparecimento de novos produtos subjacentes aos recursos endógenos, bem como a melhoria de alguns já existentes, como forma de dinamizar a economia local, incutir dinâmica mercantil e empresarial no território, em complemento com a iniciativa pública, dinamizada pelo município de Alcoutim», descreveu, numa nota de imprensa, a Câmara.

«Este projeto resulta de uma estratégia que nós iniciámos há algum tempo, no sentido de criar dentro do Parque Industrial alguns edifícios que sejam atrativos para instalação de negócios e que viabilizem a vinda de outros», disse o edil alcoutenejo.

Os lotes deste Parque Industrial, onde já se encontram instaladas duas empresas, foram vendidos a um euro o metro quadrado, o que «só por si é já um grande incentivo», considerou Osvaldo Gonçalves.

Neste momento, há duas empresas instaladas neste parque, a “Dandlen & Vasques”, um spin-off da Universidade do Algarve que se dedica à produção de óleos essenciais, e a Caetano Costa e Costa, do setor da construção civil.

Por construir, mas já atribuídos, estão também lotes destinados a um parque de gás, serralharia/carpintaria, posto de abastecimento de combustíveis, investigação, produção e transformação de plantas aromáticas e medicinais, apicultura e exploração cinegética.

O município reservou para si dois lotes no Parque Industrial, para instalação deste tipo de infraestruturas. Uma avança já, a outra será construída «logo que haja oportunidade e condições».

«É claro que esperamos que, com isto, os donos dos outros lotes se sintam compelidos a instalar-se lá. Estamos a criar este estímulo e incentivo para que outros se instalem ali e no sentido de dinamizar o próprio parque», enquadrou o presidente da Câmara de Alcoutim.

Para erguer o novo pavilhão, a autarquia alcouteneja vai contar com uma ajuda da União Europeia de 130 mil euros, mais de metade do custo total da empreitada, vindos através do CRESC Algarve 2020.

Estima-se que a obra esteja concluída até final de 2020.

Comentários

pub
pub