«Intervenções que marcam» de António Branco já estão reunidas em livro

Obra reúne mais de meia centena de textos

Um livro que contém «ideias, ideais e incentivos para a ação». Foi assim que Nelson Dias resumiu a obra “Transitoriamente reitor. Intervenções públicas 2013-2017”, de António Branco, anterior reitor da Universidade do Algarve, ontem lançado em Faro.

Com o bonito salão nobre do antigo Governo Civil a abarrotar de gente, o sociólogo Nelson Dias acrescentou que este «não é um livro monótono, nem para especialistas», reunindo um conjunto de «intervenções que marcam».

«O título que escolheu – “Transitoriamente reitor” – é de alguém que entende bem o que é ocupar um cargo público», concluiu.

O autor, que foi reitor durante quatro «intensos anos», disse que «o poder tem dois efeitos muito fortes – o efeito de atração, porque atrai pessoas à sua volta, cuja primeira função é confirmar o poder do indivíduo, e o segundo efeito: como o álcool, o poder inebria». Consciente disso, António Branco fez rasgados elogios à sua chefe de gabinete, Anabela Afonso, que apelidou de «grilo vigilante», uma espécie de voz da consciência. «Ela foi sempre o meu grilo vigilante e foi a primeira crítica dos textos que aqui estão».

«Pensar/escrever não é o binómio que agora é mais importante, numa sociedade apostada no agir/reagir/fazer». Por isso, o antigo reitor disse que ainda se admira como é que teve tempo de «escrever tanto no meio de tantas tarefas».

«Aquele tempo que tive, pouco, para fazer uma coisa de que gosto tanto, que é pensar, e para fazer uma coisa de que gosto tanto, que é escrever, acabou por ser uma redenção», «um tempo de encontro comigo mesmo», confessou.

Ao fim de quatro anos na reitoria, António Branco tinha 87 textos escritos. «Comecei a lê-los e percebi que não tinha ideia tão clara de que tinha falado de tantas coisas, de que tinha conseguido dizer tantas coisas que, pelo menos para mim, tinham tanta importância».

Para o livro, foram selecionadas 53 daqueles textos, resultantes de intervenções e discursos públicos, em cerimónias oficiais da Universidade, promovidas pela Associação Académica ou por outras entidades externas, palestras, outros artigos para publicações da UAlg. Entre eles, destaca-se o discurso da tomada de posse de António Branco em 2013 ou o feito aquando da cerimónia de atribuição do título de Doutor Honoris Causa ao professor António da Nóvoa.

O livro é prefaciado pelo médico João Goulão, membro externo do Conselho Geral da Universidade do Algarve, e por Pedro Meireles, hoje economista licenciado pela UAlg, a desempenhar funções no Parlamento Europeu e antigo presidente da Associação Académica.

Este livro foi coeditado pela Universidade do Algarve e pela editora Sul, Sol e Sal, no âmbito das comemorações dos 40 anos da Academia algarvia.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub