Sal de Castro Marim também se serve à mesa dos seus restaurantes

O Sal de Castro Marim está num «processo de obtenção de Denominação de Origem Protegida (DOP)»

«São já dezenas os restaurantes» que aceitaram o repto da Câmara de Castro Marim e colocaram sal deste concelho algarvio nas suas mesas (e ementas). 

Os estabelecimentos aderentes recebem saleiros e flor de sal de Castro Marim para disponibilizar aos seus clientes, substituindo os saleiros de que dispõem.

A iniciativa pretende aproximar o consumidor a este produto de excelência e valorização da matriz produtiva da região, incrementando os produtos locais na cadeia turística.

A produção de sal é uma atividade tradicional e um dos ex-libris de Castro Marim, que dá origem a produtos de excelência recolhidos manualmente nas salinas de Castro Marim em plena Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António.

Segundo Filomena Sintra, vice-presidente da Câmara, «é um desígnio substituir o sal industrial à mesa pelo sal e flor de sal tradicional porque o sal tradicional é naturalmente superior e rico em minerais como o magnésio, o cálcio e o potássio».

O Sal de Castro Marim, revelou a autarca, está num «processo de obtenção de Denominação de Origem Protegida (DOP)».

Esta iniciativa “Sal de Castro Marim à Mesa dos Restaurantes” é uma ação da candidatura “Patrimónios de Castro Marim: Valorização e Promoção de Produtores Locais e Produtos Endógenos”, comparticipada pelo CRESC 2020 e apoiada por Portugal e União Europeia, cofinanciada a 70% pelo FEDER.

Comentários

pub
pub