Feira da Serra vai ter slide de 250 metros

Haverá concertos de Calema, Gypsy Kings, HMB e Cantar Amália

O percurso será de 250 metros, feito nas alturas. Sentado numa cadeira de parapente, vai ser possível fazer slide na Feira da Serra deste ano e desfrutar de uma vista aérea sobre todo o recinto. Esta é uma das grandes novidades do certame, que decorre de 25 a 28 de Julho, em São Brás de Alportel, mas que também terá artesanato, figos, leite de alfarroba, uma nova cerveja e copos reutilizáveis. 

Aquela que é a grande festa de São Brás foi apresentada esta quarta-feira, 18 de Julho. O “Fly Serra Slide”, que terá um custo de perto de 5 euros, será mesmo a grande novidade, que promete fazer as delícias de todos, mas não será também uma descaracterização da essência da Feira da Serra?

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara de São Brás de Alportel, não vê a questão por esse prisma.

«Não é uma descaracterização. A essência da Feira da Serra é também a capacidade de inovarmos e de mostrar as capacidades que temos em termos de desporto. São Brás é uma terra de BTT, mas o parapente é uma das modalidades que também podem ser praticadas cá. É uma forma de mostrarmos como os amantes deste desporto podem fazê-lo cá no nosso concelho», explicou aos jornalistas.

A Associação de Parapente do Algarve, que tem um núcleo em São Brás, promove, por exemplo, durante os meses de Inverno, saltos de parapente no Cerro do Botelho, situado no concelho serrano.

 

 

Este é um certame que quer valorizar e promover aquilo que são as tradições e costumes da Serra do Caldeirão e do Barrocal, através da gastronomia, do artesanato, mas também do contacto direto com animais.

Em 2016, porém, uma novidade foi introduzida: camelos, cangurus e outros animais exóticos foram, nesse ano, algumas das atrações, numa experiência «falhada» e que, garantiu Vítor Guerreiro, «não é para repetir».

«Não haverá esse tipo de animais exóticos e que não são da região. Vamos ter, sim, os animais das quintas que conhecemos, os porcos, os coelhos, as galinhas, os burros, com possibilidade de fazer passeios. Os outros eram contra-natura. São animais selvagens que devemos observar no seu habitat natura», explicou.

Este ano, a Feira da Serra também será mais ecológica, com a introdução de copos reutilizáveis que poderão ser comprados nos espaços de restauração. O certame tem ainda, como convidado de honra desta edição, o figo.

No Palco Sabores haverá doces, compotas, sabonetes, sabões, licores e até manteigas feitas de figo. Para embaixador do produto – e desta edição da Feira da Serra – a Câmara de São Brás convidou Vítor Neto, presidente do NERA – Associação Empresarial do Algarve e antigo empresário na área dos frutos secos.

Apesar de agradecer o convite, Vítor Neto fez questão de notar, na conferência de imprensa, que este produto, tipicamente algarvio, já viveu melhores dias. «Hoje importamos figos de Turquia e Espanha. Estamos a perder um recurso e isso é um ponto de reflexão», disse.

Na edição deste ano, a Feira da Serra vai estar na Rota do Geocaching (com praticantes a visitarem o certame) e da Estrada Nacional 2, rota que vai ser o grande destaque do espaço turístico.

O evento, que volta a ser 100% acessível para todos, também vai ser palco para a apresentação de duas novidades: uma nova cerveja (a São Brás de Alportel) e um leite de alfarroba.

 

 

A aposta no picadeiro da Feira da Serra será, este ano, maior. De quinta-feira a domingo, das 19h30 às 21h15, os mais novos poderão fazer o seu batismo de equitação. Além disso, Núbia, a primeira puro sangue lusitano são-brasense, será apresentada nos dias 26 e 27, às 22h00.

Quanto à parte musical, os Calema inauguram o certame com um concerto no primeiro dia. Para a noite de sexta-feira, dia 26, fica reservado o espetáculo dos intemporais Gipsy Kings.

Já sábado, dia 27, a animação fica por conta dos HMB, encerrando o programa de concertos com a atuação do projeto “Cantar Amália”. Todos estes concertos começam às 23h00.

Para Vítor Guerreiro, toda a Feira da Serra. que envolve a comunidade são-brasense, é «um conjunto de sentimentos e emoções muito felizes».

«Não é só música e gastronomia, é muito mais do que isso. Queremos que, quem saia do recinto, sinta aquela vontade de voltar. Que digam que valeu a pena», concluiu.

O bilhete diário para a Feira da Serra custa 4 euros. O ingresso para quatro dias tem o preço de 12 euros. Já o bilhete diário de família, com quatro entradas, também custa 12 euros. Todos os ingressos, podem ser comprados aqui.

Comentários

pub
pub