Pacheco Pereira inaugurou exposição «Maio de 68 Revisitado» em Lagoa

A mostra pode ser vista até dia 29 de Junho

A exposição «Maio de 68 Revisitado», produzida pelo projeto Ephemera, de José Pacheco Pereira, abriu no dia 14, no Convento de S. José, em Lagoa.

Foi o próprio investigador que guiou uma visita à mostra, «a maior realizada em Portugal sobre os eventos de Maio de 1968 e a sua influência política, nos costumes, iconográfica, no cinema, na música, na cultura e no pensamento em geral».

Resulta da fusão de duas exposições realizadas pelo Ephemera em 2018, uma no Museu do Aljube (em colaboração com o Museu) e outra no Mira Forum no Porto, com a curadoria de Eglantina Monteiro.

Os materiais das duas exposições, assim como outros que não puderam ser então incluídos, permitem ocupar três grandes salas com documentos originais de Maio de 1968, cartazes, discos, periódicos (como o Action e o Enragè), fotografias, e uma secção especial sobre os portugueses em França durante os eventos de 1968. Uma parte da exposição é sobre o pós-Maio, a sua influência em vários países, e a herança até aos nossos dias.

A mostra pode ser vista até dia 29 de Junho.

 

Fotos: Filipe da Palma | Sul Informação

 

 

Comentários

pub
pub