Portimonense regressa às vitórias com mão cheia de golos

Portimonense e Nacional proporcionaram um grande espetáculo de futebol aos adeptos

Foto: Nelson Inácio|Sul Informação

O Portimonense venceu o Nacional por 5-1 e pôs um ponto final na série de seis jogos sem vencer, que já se arrastava desde Janeiro. Mais do que a uma goleada e a uma vitória importante do Portimonense, quem esteve este domingo no Municipal de Portimão teve a oportunidade de assistir a um grande jogo, com oportunidades e intensidade de parte a parte e muitas emoções.

A jogar em casa, o Portimonense cedo assumiu o controlo do jogo, procurando o ataque. Ainda assim, a equipa insular também ia mostrando que não vinha ao Algarve apenas para ver jogar e tentava colocar-se em vantagem com ataques rápidos e perigosos.

O primeiro golo da partida acabou por surgir aos 23 minutos, já depois de ambos os guarda-redes terem tido de se aplicar a fundo para evitar que os adversários marcassem. Tabata subiu pelo flanco esquerdo e cruzou para Jackson, mas acabou por ser Júlio, defesa do Nacional, a colocar a bola na própria baliza, ao tentar cortar.

O segundo golo do Portimonense não demorou muito a surgir. Aos 28 minutos, o goleador Jackson Martinez fez um passe de calcanhar para Lucas Fernandes, quando já estava dentro da área, e o médio dos algarvios não perdoou.

O jogo estava a correr de feição à equipa de Portimão e melhor ficou aos 40 minutos, altura em que Paulinho aumentou a vantagem para 3-0, na sequência de uma grande penalidade que ele próprio conquistou.

E o Portimonense podia ter ido para o intervalo a ganhar por quatro. Aos 44 minutos, o árbitro considerou que o defesa insular Kalindi dominou a bola com o braço e assinalou nova grande penalidade. Chamado a converter, Jackson Martinez atirou ao lado.

Ainda antes do apito para o intervalo, Rashidov ainda marcou para a equipa visitante, mas o golo foi anulado por alegada falta ofensiva de Rashidov sobre Rúben Fernandes.

O Nacional regressou do balneário apostado em mudar a sua sorte – até porque já tinha tido boas oportunidades para marcar no primeiro tempo – e conseguiu reduzir aos 55 minutos, por Hamzaoui, que deu o melhor destino a um cruzamento de Witi.

O Portimonense não acusou o golo e recolocou a diferença nos três golos poucos minutos depois. Aos 58 minutos, Tabata rematou, o guarda-redes Daniel fez uma defesa incompleta e Aylton Boa-Morte fez o 4-1.

A equipa da Madeira pareceu ter desanimado após o quarto do Portimonense e podia ter sofrido mais nos minutos seguintes. Ainda assim, acabou por conseguir assentar o seu jogo e parecia que o segundo golo do Nacional podia surgir a qualquer momento.

Mas foi o Portimonense a marcar novamente, aos 83 minutos, e a garantir a mão cheia de golos. Ruster serviu Jackson no coração da área e o avançado colombiano encostou para o fundo das redes.

Antes do apito final Kalindi viu o segundo amarelo e deixou os visitantes a jogar com dez.

Com este resultado, o Portimonense sobe ao 9º lugar da tabela classificativa e ultrapassa o Rio Ave, quando estão jogadas 25 jornadas da I Liga.

 

Fotos: Nelson Inácio|Sul Informação

 

Comentários

pub
pub