Entrada grátis em Faro para ver «Styx», filme finalista do Prémio LUX 2018

Uma médica alemã a cumprir o seu sonho de velejar pelo oceano encontra um barco cheio de refugiados. O que acontecerá depois?

«Styx», um filme de Wolfgang Fisher, de 2018, finalista do Prémio LUX de cinema, atribuído pelo Parlamento Europeu, vai ser exibido na próxima quarta-feira, dia 6 de Março, às 19h00, nos Cinemas NOS do Forum Algarve.

A entrada para este filme é livre, apenas sujeita a inscrição obrigatória, que deve ser feita enviando um email para europedirect@ccdr-alg.pt.

Esta produção da Áustria e da Alemanha, que também tem argumento do próprio Wolfgang Fischer, tem um elenco formado por Susanne Wolff, Gedion Wekesa Oduor, Alexander Beyer, Inga Birkenfeld. O filme foi apresentado no Festival Internacional de Cinema de Berlim, a Berlinale, na secção Panorama, onde conseguiu a distinção Europa Cinemas Label.

O filme Styx começa por contar a história de Rike – 40, uma médica alemã – que é um típico modelo ocidental de felicidade e sucesso. Ela é educada, confiante, determinada e comprometida.

Vemos o quotidiano de Rike, como médica de emergência, antes de realizar um sonho antigo e navegar sozinha pelo mar no seu veleiro. O seu objetivo: Ilha da Ascensão no Oceano Atlântico.

Mas as suas férias de sonho são rapidamente interrompidas em alto mar, quando, depois de uma tempestade, ela se vê perto de um barco de pesca com problemas e a abarrotar de gente. Cerca de cem pessoas, refugiados, estão prestes a afogar-se.

Rike segue a lei marítima e pede ajuda por rádio. Como seu pedido não está a dar qualquer resultado, ela é forçada a tomar uma decisão importante.

Um grande filme europeu, com um tema atual, a não perder.

O Parlamento Europeu financia a legendagem dos filmes finalistas do Prémio Lux nas 24 línguas oficiais da UE. O filme vencedor, escolhido pelos eurodeputados, é também adaptado para as pessoas com incapacidades visuais ou auditivas.

O Prémio Lux foi criado pelo Parlamento Europeu em 2007 para promover a produção cinematográfica europeia, fomentando a distribuição de filmes europeus e estimulando o debate em torno de temas atuais. Todos os anos, são nomeados três finalistas entre os filmes europeus cujo conteúdo verse a atualidade da integração europeia e temáticas controversas.

Em 2018, o filme vencedor foi “Woman at War“, da realizadora islandesa Benedikt Erlingsson (uma coprodução entre Islândia, França e Ucrânia).

O vencedor de 2017 foi o filme “Sámi Blood”, da realizadora sueca Amanda Kernell (uma coprodução entre a Suécia, a Noruega e a Dinamarca).

Entre os filmes finalistas do Prémio Lux, Portugal marcou presença, em edições anteriores, com “Belle Tourjours”, de Manoel de Oliveira, e com “Tabu”, de Miguel Gomes.

 

Comentários

pub