Trabalhadores da Via do Infante fazem greve por aumentos e subsídio de risco

São 37 os trabalhadores que prestam serviço na A22, em diversas áreas

Os trabalhadores da Via do Infante vão estar em greve amanhã, 1 de Março, exigindo aumento de salário e subsídios de risco e de turno.

Maria José Madeira, do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), disse ao Sul Informação que, em causa, estão aumentos de salários, já que os trabalhadores não aceitam o acréscimo de 1% proposto pela administração, o Grupo Cintra Portugal, responsável pela concessão da Via do Infante/A22.

Os 37 trabalhadores, que exercem funções nas áreas de manutenção, vigilância, posto de controlo, eletrónica e informática, exigem ainda o pagamento de subsídios de risco e de turno.

«Quem trabalha numa via como a A22 está em risco permanente», sublinhou a sindicalista.

O CESP vai estar a acompanhar a luta dos trabalhadores da Via do Infante, que estarão em Piquete de Greve, amanhã, às 14h00, na área de serviço de Loulé, no sentido Albufeira-Espanha.

Comentários

pub
pub