«Viagem» de Magalhães é o mote do DiVaM que já abriu período de candidaturas

Este ano, há um teto máximo de 55 mil euros, para cerca de quatro dezenas de atividades nos monumentos algarvios

«A Viagem» é o tema da programação deste ano do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos, cujas candidaturas estão abertas até 22 de fevereiro, segundo informou a Direção Regional de Cultura.

Em 2019, assinala-se os 500 anos da primeira viagem de circum-navegação planetária, de Fernão de Magalhães, navegador português que planeou e comandou, em grande parte da sua extensão, a expedição marítima que permitiu demonstrar definitivamente a esfericidade da terra.

Com o tema da grande Viagem, que este ano dá mote ao programa DiVaM, «pretende-se promover a demanda de novos caminhos, tangíveis ou imaginários, numa busca constante de evasão, de reinterpretação, que nos permitam descobrir novos lugares, novas utopias, encontros ou reencontros, com o outro ou connosco próprios», acrescenta a Direção Regional.

Este ano, a verba a disponibilizar, para o apoio ao programa DiVaM 2019, apresenta um teto máximo de 55 mil euros.

Serão integradas cerca de quatro dezenas de atividades culturais, 11 das quais na Fortaleza de Sagres e outras tantas nas Ruínas Romanas de Milreu e na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira, Vila do Bispo). Haverá ainda atividades nos Castelos de Aljezur (2), de Paderne (2) e de Loulé (1), bem como nos Monumentos Megalíticos de Alcalar, em Portimão (2).

O programa DiVaM pretende contribuir para destacar a importância das comunidades locais na valorização do património cultural, indo ao encontro dos princípios da “Convenção de Faro”, pois tenta promover o património cultural como fator de aproximação, de diálogo, de coesão social e de uma cidadania cada vez mais inclusiva.

A “Convenção de Faro”, assinada em 2005, na então Capital Europeia da Cultura, apresenta «uma visão mais “holística” de património, combinando património material e imaterial, mas também os valores, significados, usos e utilizações desse mesmo património pela sociedade. O Património passa a ser visto enquanto processo; um processo contínuo, de criação, de construção, de utilização e modificação do património; um processo que envolve as comunidades, em que os seus valores, aspirações e necessidades devem ser considerados, para celebrar a diversidade e a pluralidade de diferentes visões e perspetivas. Este “processo patrimonial” centra a sua abordagem nas pessoas que constroem, utilizam e celebram um património comum».

Tendo “A Viagem” como tema central do DiVaM 2019 e apelando à inclusão das comunidades no processo de construção de novos projetos culturais, a Direção Regional de Cultura do Algarve convida todas as associações culturais da região algarvia a apresentar candidaturas.

Clique aqui para conhecer as normas do DiVaM 2019
Clique aqui para aceder ao formulário de candidatura

Comentários

pub
pub