Lince Opala encontrada morta perto de Mértola

O Vale do Guadiana conta com 11 fêmeas territoriais reprodutoras e 45 crias já nascidas na natureza

Lince-ibérico em foto de arquivo

A Opala, uma das fêmeas de lince-ibérico libertada há 9 meses na zona de Corte Gafo, concelho de Mértola, foi encontrada morta no dia 9 de Janeiro, na área do Parque Natural do Vale do Guadiana.

O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), explica que a sua equipa de monitorização «detetou o animal morto em avançado estado de decomposição, através do sinal VHF de rádio da coleira emissora».

A GNR deslocou-se ao local e fez um levantamento do caso, bem como a recolha de amostras.

Para já, as causas de morte deste lince-ibérico são «ainda desconhecidas», estando o caso a ser investigado pela GNR.

A fêmea Opala, uma jovem nascida em 2017, no Centro de Reprodução de La Olivilla, na Andaluzia, em Espanha, foi libertada a 15 de Março do ano passado, no núcleo populacional de lince-ibérico do Vale do Guadiana, com a colaboração da Sociedade Agrícola Vargas Madeira.

Tinha sido detetada pela última vez em Setembro, «aparentando ter estabelecido um território na zona em que agora foi encontrada».

O Vale do Guadiana conta com 11 fêmeas territoriais reprodutoras e 45 crias já nascidas na natureza, explica o ICNF. Além do seguimento por telemetria, o núcleo populacional é monitorizado também por foto-armadilhagem, que permite a identificação individual de todos os exemplares.

«Com o registo deste caso, a taxa de sobrevivência dos animais reintroduzidos em Portugal situa-se nos 72%», acrescenta o ICNF.

A reintrodução de lince-ibérico, iniciada em 2015, tem o enquadramento do projeto LIFE Iberlince (LIFE+10/NAT/ES/000570), cuja meta é a recuperação da distribuição histórica da espécie. Espera-se conseguir uma coexistência harmoniosa entre atividades humanas sustentáveis e a viabilidade deste felino selvagem, a longo prazo, um dos mais ameaçados do mundo.

Comentários

pub
pub