Homem que roubava e agredia na Ilha da Culatra vai a julgamento

O homem, que está em prisão preventiva, terá ofendido «diversos moradores e turistas»

Crédito: Depositphotos

Um homem de 32 anos residente no núcleo dos Hangares da Ilha da Culatra vai ser julgado por 19 crimes de violação de domicílio, ameaça, ofensa à integridade física, dano, furto e roubo, alguns deles agravados, durante o Verão, nesta ilha do concelho de Faro.

O Ministério Público (MP) deduziu acusação contra o homem, que até é suspeito de ter cometido mais crimes, mas cujos processos acabaram arquivados, porque «os ofendidos não apresentaram queixa ou desistiram validamente das que apresentaram».

Os crimes de que o arguido é suspeito foram cometidos entre os dias 17 de Julho e 30 de Setembro de 2018 «em diversos núcleos habitacionais da Ilha da Culatra, no concelho de Faro, tendo sido ofendidos diversos moradores e turistas», segundo o MP.

O arguido, que tem antecedentes criminais e se encontra em prisão preventiva, chegou a ser sujeito a uma perícia médico-legal de foro psiquiátrico, «que concluiu pela imputabilidade penal do arguido», ou seja, que pode ser julgado.

A investigação que deu origem a esta acusação foi dirigida pelo MP da 2ª secção de Faro do Departamento de Investigação e Ação Penal, coadjuvado pela Polícia Marítima.

Comentários

pub
pub