Novo auditório reforça temporada do Cine-Teatro Louletano

Peça de teatro sobre a Festa da Mãe Soberana, António Zambujo e Pedro Abrunhosa são grandes atrativos

Concertos de António Zambujo, Pedro Abrunhosa e Cristina Branco, uma peça de teatro sobre a emblemática Festa da Mãe Soberana e um novo auditório, situado no Solar da Música Nova, são destaques da próxima temporada do Cine-Teatro Louletano, em Loulé. 

O espaço de cultura da cidade de Loulé anunciou a sua nova temporada (Janeiro a Julho de 2019) de programação artística, «prosseguindo com uma ampla oferta artística dirigida a públicos diferenciados e pautada pela qualidade, diversidade e originalidade, e continuando assim a afirmar esta sala de espetáculos como uma referência no Sul do país», diz a Câmara de Loulé.

Em 2019 surgirá um novo auditório na cidade, situado no Solar da Música Nova (junto ao Conservatório de Música de Loulé – Francisco Rosado), que «vem potenciar e permitir a implementação de novos e ambiciosos projetos e dinâmicas ao nível da intervenção cultural camarária ligada às artes performativas, numa lógica de programação em rede, concertada e complementar entre esse espaço e o Cine-Teatro Louletano», explica a autarquia.

Enquanto este último continuará a privilegiar a apresentação de propostas diversificadas, de maior fôlego, nas áreas do Teatro, Dança, Música e Multidisciplinar, o novo auditório vai centrar a sua ação num projeto de mediação artística e cultural que terá como principais vetores: a aproximação dos públicos ao universo da Música e suas múltiplas derivações e diálogos, as dimensões formativa (formal e informal) e reflexiva, a arte para a infância, as residências artísticas no âmbito das artes do palco e uma estreita articulação, quer com o Conservatório de Música, quer com as associações culturais do Concelho e a comunidade escolar.

Relativamente à programação para o Cine-Teatro, o universo do Teatro «constitui uma clara aposta estratégica da grelha deste semestre, com a presença de diversas companhias, encenadores e atores de renome a nível nacional».

Soma-se a isto um incremento do número de coproduções, num total de nove para esta temporada com especial ênfase no campo teatral: Teatro do Eléctrico, Teatro da Terra, Carla Maciel, Catarina Requeijo, João de Brito, Ana Borges/corpodehoje, sendo que estes dois últimos são criadores sediados no Algarve.

Um dos destaques vai para uma encomenda artística do Cine-Teatro Louletano ao já reconhecido encenador quarteirense Ricardo Neves-Neves para uma releitura contemporânea, a nível teatral, da Festa da Mãe Soberana, transpondo esta emblemática manifestação religiosa, de forma inédita, para o palco.

O lançamento, também em modo de coprodução e numa parceria com a associação louletana Folha de Medronho – Associação de Artes Performativas de Loulé, de um novo festival de teatro, denominado Tanto Mar, dedicado exclusivamente a peças criadas por estruturas sediadas em países falantes da língua portuguesa, promovendo a lusofonia cultural na região algarvia, é igualmente um aspeto a realçar nesta temporada.

A estreia do encenador João Samões, em Loulé, a peça “Improvável” da ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve e um novo modelo de apresentação pública do Cenários – Mostra de Teatro do Concelho de Loulé «são ingredientes que marcam também a programação no campo teatral».

Quanto à dança contemporânea, haverá a estreia absoluta no Sul do país, das novas criações de duas das mais prestigiadas companhias portuguesas (Olga Roriz e Clara Andermatt, esta última coproduzida pelo Cine-Teatro).

A isto junta-se a apresentação de propostas diferenciadoras, inclusive com uma dimensão internacional, integradas no festival “Encontros do DeVIR”, organizado pelo CAPa – Centro de Artes Performativas do Algarve, agora em quinta edição com o tema “Denúncia”.

Pedro Abrunhosa

A nova temporada também se foca no universo do Cinema «com três mostras temáticas de inegável relevância (Monstrare – Mostra Internacional de Cinema Social, Mostra de Cinema da América Latina e Festa do Cinema Italiano)».

No que concerne à Música, Loulé prossegue a estratégia de estrear espetáculos que venham pela primeira vez ao Sul de Portugal.

Por isso haverá concertos de Pedro Abrunhosa, António Zambujo e Cristina Branco.

«Há uma preocupação em apresentar concertos especiais, que revelem ingredientes inovadores e inesperados ao nível dos intervenientes, temáticas e/ou formatos, como sejam os casos dos espetáculos de Sam The Kid & Mundo Segundo com Napoleão Mira (juntando em palco filho e pai, pela primeira vez, a 24 de Abril), do tributo a Carlos Paião a 15 de Junho (uma estreia absoluta no Sul deste formato com vários intérpretes de renome nacional), do concerto da banda algarvia Íris ou do acordeonista Nelson Conceição (que apresenta o seu novo disco), ou ainda do tributo “Por terras do Zeca”, que junta em palco Zeca Medeiros, Filipa Pais, Maria Anadon e João Afonso», diz a autarquia.

O acolhimento de propostas artísticas que integram o programa “365Algarve”, neste caso com os concertos “West Side Story” (com os pianistas Armando Mota e António Rosado, acompanhados pelos Percussionistas de Lisboa) e a estreia mundial da nova obra de Mário Laginha (com o Quarteto de Matosinhos), «constitui igualmente um vetor fundamental da programação».

A prossecução da aposta na música clássica, com vários eventos de referência integrados no FIMA – Festival Internacional de Música do Algarve, também se insere nessa lógica de acolhimento de eventos inseridos no programa 365Algarve.

A nova temporada espelha ainda um enfoque na programação dirigida à comunidade escolar do concelho, percorrendo uma linha que vai desde o pré-escolar (Catarina Requeijo apresenta a criação “É pró menino e prá menina”, centrada numa questão extremamente atual: a igualdade de género), passando pelo 1.º ciclo (a reconhecida dupla formada pelo coreógrafo Victor Hugo Pontes e pela pianista Joana Gama revisitam o tema da noite e do medo; e a criadora Ana Borges faz a apologia da positividade na vida com o seu novo espetáculo de teatro e dança “Abel e Amália”), até à faixa adolescente, em que o encenador algarvio João de Brito explora a seguinte interrogação: “Será a amizade capaz de sobreviver à mudança?”.

Nesta nova programação continuam as rubricas regulares que assentam na reflexão e debate em torno de temas ligados à cultura, artes e letras, bem como na valorização de figuras locais dotadas de um percurso singular e relevante (respetivamente, os formatos “Conversas à Quinta” e “Dos Sabores da Cultura”). Em 2019 são convidados a docente universitária e gestora cultural Maria Cabral, o encenador Nuno Carinhas, o maestro Osvaldo Ferreira e o músico (baixista) Marco Martins.

A continuidade de uma opção estratégica (iniciada em 2017), que consiste em privilegiar o campo da arte para a infância (bebés, pais e profissionais que trabalham com esta faixa etária), através da parceria estratégica com duas companhias de referência a nível nacional, a Companhia Musicalmente (Leiria) e a Companhia de Música Teatral (Lisboa), continua a ser uma tónica da programação do Cine-Teatro Louletano.

«Daí que na próxima temporada sejam privilegiadas várias ações de formação, espetáculos e palestras/debates a pensar nesse objetivo, numa parceria quer com os jardins-de-infância do Concelho, quer com a Universidade do Algarve (Escola Superior de Educação e Comunicação)», explica a autarquia.

Em relação à programação prevista para o auditório do Solar da Música Nova (que será inaugurado a 1 de Fevereiro de 2019 com um concerto especial coordenado pelo professor Manuel Rocha e envolvendo os docentes do Conservatório de Música de Loulé, fruto de uma encomenda do Cine-Teatro), a aposta incide na área da mediação artística e cultural, apresentando um trabalho que sustenta, alimenta e justifica a agenda proposta pelo Cine-Teatro.

Entrada para o Solar da Música Nova

Assim, e em concertação com as escolas da cidade e o Conservatório de Música, será realizada em Março uma semana temática em torno da música clássica coordenada pelo maestro Osvaldo Ferreira, na qual se incluirão diversos formatos (concertos, formação e conversas performativas, no auditório e nas escolas) que pretendem aproximar o grande público da linguagem musical erudita.

Também na linha da mediação musical, Pedro Jóia, figura da guitarra clássica, encetará o ciclo “Instrumentalia” com conversas performativas, masterclass e concerto em modo de carta branca em maio de 2019, enquanto a reconhecida Luísa Sobral abre o ciclo “Pessoalíssima”, revisitando temas que marcaram a sua vida num formato de concerto comentado.

«De destacar ainda o arranque de um novo ciclo musical intitulado “Ilustres Desconhecidos”, cuja motivação principal é a valorização e apresentação de projetos musicais (quer da região, quer exteriores à mesma) emergentes e/ou desconhecidos do público algarvio. Neste ciclo participarão o projeto algarvio Galopim e Raquel Ralha & Pedro Renato (ex-Belle Chase Hotel), Lince (de Sofia Ribeiro) e Cassete Pirata».

A arte para a infância constitui igualmente uma prioridade na programação do novo auditório, com duas ações de formação, uma de cariz intensivo e outra imersiva (este último modelo numa estreia absoluta no Sul depois de três anos de ocorrência na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa), dirigidas a educadores, animadores, artistas/músicos e mediadores, a realizar entre Fevereiro e Julho de 2019 e dinamizadas pela já aludida Companhia de Música Teatral.

Para mais informações os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça-feira a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt.

Além disso, podem consultar a sua página de Facebook aqui.

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

Comentários

pub
pub