40 cirurgias canceladas no primeiro dia de greve dos enfermeiros no Algarve

Unidades de Cirurgia de Ambulatório dos Hospitais de Faro e Portimão estão encerradas

Foto: Pablo Sabater | Sul Informação

40 cirurgias foram canceladas esta quarta-feira, 10 de Outubro, nos hospitais do Algarve devido ao primeiro dia de greve dos enfermeiros. 

A informação foi avançada por Nuno Manjua, delegado regional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, que revelou ainda que as Unidades de Cirurgia de Ambulatório dos Hospitais de Faro e Portimão estão encerradas.

«Estes seis dias de greve estão repartidos em serviços diferentes. Hoje é o dia que cabe aos blocos operatórios, cirurgias de ambulatório e bloco de partos que têm sala operatória. Em Faro e Portimão existe cada um destes serviços e a adesão à greve é hoje de 81% no global do Centro Hospitalar Universitário do Algarve», avançou aos jornalistas.

São assim seis os serviços em greve: dois totalmente fechados e quatro em que «vieram trabalhar muitos poucos enfermeiros», segundo Nuno Manjua. O impacto do primeiro dia de greve é, por isso, nas palavras do sindicalista, «grande».

Foto: Pablo Sabater | Sul Informação

«Os enfermeiros não fazem greve porque querem: fazem porque são empurrados para isso. Apelamos à compreensão das pessoas porque não as queremos prejudicar. O nosso objetivo é alertar o Governo para aquilo que são as nossas reivindicações. Há muito que o Governo firmou acordos com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses que não está a cumprir».

Segundo Nuno Manjua, a «carreira de enfermagem, que devia estar revista até final do ano, ainda não está. Também não há qualquer proposta de alteração da grelha salarial no sentido de valorizar os enfermeiros, como tinha dito que ia ser feito».

Outra das reivindicações dos enfermeiros é a progressão das carreiras, bem como a implementação de um «suplemento remuneratório» aos enfermeiros especialistas que «a maior parte ainda não está a receber».

A greve continua amanhã (11 de Outubro) e é destinada a todos os enfermeiros de todos os serviços. Já na próxima terça-feira (16), a paralisação volta a ser destinada apenas aos blocos operatórios, ao passo que, na quarta-feira (17), a greve abrange todos os serviços, exceto os operatórios.

Quinta-feira da próxima semana (18) a paralisação destina-se aos enfermeiros dos cuidados de saúde primários. Esta greve de seis dias termina dia 19 com uma manifestação em Lisboa.

Comentários

pub
pub