Festival F vai ter Salvador Sobral, D.A.M.A, Diogo Piçarra e Revenge of the 90’s

Concertos de Salvador Sobral, a solo e com o projeto “Alexander Search”, em conjunto com o algarvio Júlio Resende, D.A.M.A, […]

Foto de arquivo Foto: Bruno Carlos | Sul Informação

Concertos de Salvador Sobral, a solo e com o projeto “Alexander Search”, em conjunto com o algarvio Júlio Resende, D.A.M.A, Diogo Piçarra e uma viagem no tempo até aos anos 90 vão marcar a edição deste ano do Festival F, que se realiza de 30 de Agosto a 1 de Setembro, em Faro. 

O cartaz do certame foi apresentado esta segunda-feira, 4 de Junho, no Capitólio, em Lisboa, evento em que o Sul Informação esteve presente.

Salvador Sobral integra o alinhamento deste ano, após os concertos de 2017 terem sido cancelados, devido ao estado de saúde do músico.

Apresentação do “F” Foto: Hugo Rodrigues | Sul Informação

Outros dos nomes confirmados são Dead Combo, The Gift, Sérgio Godinho, Manel Cruz, Rodrigo Leão, Blaya, Aurea, Cristina Branco, Moonspell, Slow J, Piruka e o DJ brasileiro Patife.

Kátia Guerreiro com a Orquestra Clássica do Sul, Raquel Tavares, The Legendary Tiger Man, Daniel Kemish e Paus também vão atuar.

O cartaz engloba ainda Bispo, Brass Wires Orchestra, DJ Glue, Domi, Elisa Rodrigues, Ermo, Filipe Sambado, Golden Slumbers, Holly Hood, Homies e Janeiro.

O “F” fica fechado com João Só, Kappa Jotta, Luís Severo, 1955, Nuno Luz (DJ Rádio Comercial), Papillon, Sacik Brow, Sean Riley e Wilson Honrado, também DJ da Comercial.

Passando da música para a stand up comedy, haverá a participação de Eduardo Madeira e do algarvio Môce dum Cabréste. O “F” também terá exposições, teatro, numa parceria com a associação LAMA, animação de rua, video mapping, tertúlias, artes plásticas, programação infantil e artesanato de autor.

O sucesso do espaço de street food, comprovado nas edições anteriores, assegura novamente a sua presença em 2018.

Na apresentação do festival, Rogério Bacalhau, presidente da Câmara Municipal, vincou o facto de o “F” ser um certame «de música portuguesa», juntando «artistas consagrados e outros em ascensão». O edil também fez questão de referir Joaquim Guerreiro, criador do festival, que faleceu em Setembro de 2017.

No total haverá sete palcos de música, entre os quais o Ria, no Largo de São Francisco, distribuídos pela Vila Adentro.

Paulo Santos, vice-presidente da autarquia, revelou que o Palco Afonso III vai voltar e num formato diferente. Haverá um DJ, com o público a poder escolher entre dois sets e ouvir, nos headphones, sem causar ruído.

Este ano também haverá uma nova porta de entrada no Arco do Repouso, que se junta à do Arco da Vila e da Ria. Quanto ao espaço de recinto será semelhante ao do ano passado.

Quem for ao “F” vai ter ainda uma grande novidade: será possível ver Faro do alto, através de três balões de ar quente.

No total, já passaram pelo festival 137 bandas e o espaço cresceu de 5 mil, no primeiro ano, para 38 mil metros quadrados atualmente.

Os bilhetes já estão à venda aqui. Os ingressos diários vão custar 15 euros, ao passo que o passe geral, para os três dias, tem o preço de 30 euros, se comprado até às 23h59 de 24 de Agosto.

As crianças até aos 12 anos, inclusive, não pagam bilhete, desde que acompanhadas por um adulto e respetiva identificação.

Comentários

pub
pub