AMI coordena iniciativa que vai financiar projetos nas áreas da sensibilização e defesa do ambiente

A Assistência Médica Internacional (AMI) vai estar esta terça-feira em Faro para apresentar o projeto “No Planet B”, uma iniciativa […]

A Assistência Médica Internacional (AMI) vai estar esta terça-feira em Faro para apresentar o projeto “No Planet B”, uma iniciativa que oferece financiamento a pequenas e médias organizações para implementação de projetos nas áreas da sensibilização e defesa do ambiente.

O “No Planet B” será apresentado a partir das 15h00, no Auditório 1.4. no Campus da Penha, na Universidade do Algarve, em Faro.

Em Portugal, serão financiados 18 projetos, num total de 580 mil euros. «Desta forma, a organização pretende viabilizar a concretização de iniciativas cujas atividades podem incluir, por exemplo, formação, sensibilização, desenvolvimento de protótipos, investigação, dinamização de ações a nível local, desenvolvimento de práticas inovadoras e de pequenos negócios sociais», enquadrou a AMI.

«Definimos no contexto dos três ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) para os quais o projeto contribui – cidades e comunidades sustentáveis, produção e consumo sustentáveis e ação climática – as áreas setoriais mais adequadas ao cenário português. A expectativa é receber projetos envolvendo, por exemplo, planeamento urbano, gestão de resíduos, reciclagem, educação ambiental, energias renováveis, gestão de recursos hídricos, entre outros», explicou Andreia Carvalho, coordenadora do projeto em Portugal.

A iniciativa surge de uma parceria entre a AMI e a Fondazione Punto.sud, uma organização italiana que atua na preparação, gestão e avaliação de programas de ajuda humanitária.

Em Portugal, a AMI é a responsável pela implementação do projeto, que está a ser desenvolvido em consórcio com cinco parceiros europeus.

Além da AMI e da Punto.sud, o “No Planet B” conta com as instituições Asociatia Servicul Apel (Roménia), Fondo Andaluz de Municipios para la Solidaridad Internacional (Espanha), Finep academie e.V. (Alemanha) e Hungarian Baptist Aid (Hungria) como parceiros.

O projeto é cofinanciado pela União Europeia e pelo Instituto Camões e tem um ciclo de 36 meses.

Comentários

pub
pub