Algarve é única região do país com cobertura integral de equipas comunitárias de cuidados paliativos

A apresentação da nova Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Central, que […]

A apresentação da nova Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Central, que torna o Algarve a primeira região do País com cobertura integral de equipas comunitárias nos três ACES da região, esteve em destaque nas 4ª Jornadas de Cuidados Paliativos do Algarve, que decorreu no dia 30, na unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve.

Outros temas em debate nas jornadas, que juntaram cerca de 80 profissionais de saúde de diversas áreas, foram a experiência do trabalho desenvolvido na região em cuidados paliativos e o debate sobre a implementação do Plano Estratégico para o Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos para o biénio 2017/2018.

Sob o lema internacional «Cuidados Paliativos Universais – Não deixar ninguém que sofre para trás», esta iniciativa, organizada pela Administração Regional de Saúde do Algarve, contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde Fernando Araújo, de Paulo Morgado, presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Ana Paula Gonçalves, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, António Branco, reitor da Universidade do Algarve, Teresa Mendes, da vereadora da Câmara Municipal de Portimão, Fátima Teixeira, coordenadora regional dos Cuidados Paliativos do Algarve, Edna Gonçalves, presidente da Comissão Nacional dos Cuidados Paliativos, bem como com a participação de profissionais de saúde de todo o país.

Durante as jornadas, partilharam experiências e boas práticas e, em conjunto, debateram a implementação da nova estratégia para o desenvolvimento da Rede de Cuidados Paliativos a nível nacional.

Na sua intervenção na sessão de abertura, o secretário de Estado Fernando Araújo, enaltecendo o trabalho realizado por todos os profissionais de saúde que se dedicam à prestação de cuidados paliativos, destacou que esta é uma das prioridades do Governo.

Sublinhou ainda que «é a primeira vez que o País tem um plano estratégico para esta área. A Rede de Cuidados Paliativos foi criada em 2012, mas depois nunca foi concretizada».

Neste momento, existe uma forte aposta no investimento na formação para a criação de equipas especializadas de cuidados paliativos em todos os Agrupamentos de Centros de Saúde até final de 2018, realçou o governante.

Neste âmbito, Paulo Morgado congratulou-se pelo trabalho desenvolvido na região, elogiando o papel fundamental de todos os profissionais de saúde que integram as diversas equipas multidisciplinares dos cuidados paliativos, quer a nível hospitalar quer no apoio domiciliário, que têm contribuído para os excelentes resultados alcançados no reforço deste tipo de apoio e cuidados prestados à população.

O presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve destacou ainda o pioneirismo da região nesta área, com a criação, em 2007, da Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos no Sotavento, encontrando-se atualmente já uma segunda equipa também em atividade no Barlavento.

Com a criação de uma equipa no ACES Central, «passamos a ser a primeira região do país, com cobertura integral de Equipas Comunitárias de Suporte em Cuidados Paliativos em todos os ACES», salientou Paulo Morgado.

Comentários

pub
pub