Alunos do Agrupamento de Escolas da Bemposta arrancaram toneladas de chorão em Alvor

Duas centenas de jovens alunos do Agrupamento de Escolas da Bemposta participaram hoje na ação de remoção do “chorão-das-praias”, uma […]

Duas centenas de jovens alunos do Agrupamento de Escolas da Bemposta participaram hoje na ação de remoção do “chorão-das-praias”, uma espécie exótica e infestante, das dunas da Ria de Alvor, de modo a ajudar a preservar esta zona húmida de valor internacional. E nem o céu nublado e as pingas que às vezes caíram os demoveram da sua tarefa.

O desafio foi lançado pelo Município de Portimão, no âmbito das comemorações do Dia Mundial das Zonas Húmidas (que hoje se assinala), em articulação com o programa Eco-Escolas da Escola Básica e Secundária da Bemposta.

O “Chorão-das-Praias” (Carpobrotus edulis) é uma planta não indígena (exótica), com origem na África do Sul, que não ocorre naturalmente no território português, tendo sido introduzida em Portugal para fins ornamentais e mais tarde cultivada para fixar taludes e dunas.

A sua impressionante capacidade de propagação e vigoroso crescimento vegetativo facilitaram a rápida colonização e ocupação de vastas áreas, formando, nalguns locais, tapetes contínuos que impedem o desenvolvimento e a sobrevivência da vegetação nativa.

E hoje, apesar do trabalho que as fotografias atestam, ainda ficou muito chorão para arrancar nas dunas da Ria de Alvor. Por isso, no próximo dia 18 de Fevereiro, um sábado, será a população a ser convidada para participar também nesta iniciativa de preservação do sistema dunar de Alvor.

Os interessados poderão juntar-se ao Agrupamento de Escuteiros de Alvor e de Portimão, bem como à Escola de Cadetes e Infantes dos Bombeiros, que já confirmaram a sua participação na ação, que irá decorrer entre as 9h30 e as 12h30, tendo como ponto de encontro o Complexo Desportivo de Alvor.

Esta ação conta ainda com a colaboração da EMARP, SUMA, Algar e Juntas de Freguesia da Mexilhoeira Grande e Alvor.

 

 

Comentários

pub
pub