Morte de Rodrigo Lapa «é como o caso Joana, mas com menos teatro»

«Lembra-se do caso Joana? Isto é a mesma coisa, mas com menos teatro». É assim que Paulo José, amigo de […]

rodrigo lapa«Lembra-se do caso Joana? Isto é a mesma coisa, mas com menos teatro». É assim que Paulo José, amigo de infância do pai de Rodrigo Lapa, e que o jovem considerava “tio”, descreve a situação do desaparecimento do adolescente, de 15 anos, que foi encontrado morto esta manhã, num terreno baldio nas traseiras da casa da sua mãe, no Malheiro.

Paulo José falou com o Sul Informação e fez várias acusações à mãe de Rodrigo, garantindo que ela «sabe o que aconteceu ao filho».

O familiar diz que havia na família, antes da separação entre a mãe e o pai de Rodrigo, uma situação de violência doméstica «ao contrário. A mãe dava “porrada” no marido e no miúdo», garante.

O amigo da família diz mesmo ter presenciado uma cena em que Célia Barreto, a mãe de Rodrigo, terá dado com uma frigideira no pai da criança, à frente do miúdo, e, quando ele chorou, ter-lhe-á dado açoites para se calar.

Paulo José e a sua companheira Teresa Matias estavam presentes quando Célia Barreto saiu da casa onde morava com o pai de Rodrigo e o seu filho. «Ela “pôs os cornos” ao meu irmão [pai de Rodrigo] e quando saiu de casa nem um beijo deu ao filho», contou Paulo José.

Segundo Teresa Matias, depois da separação, o pai de Rodrigo ficou com o poder paternal, procurando transmitir-lhe uma «educação regrada» e Célia Barreto «ficou dois anos e tal sem falar com o miúdo». No entanto, nas últimas férias, Rodrigo foi passar o Verão na casa da mãe e do padrasto e «fizeram a cabeça» ao rapaz para que ficasse a viver com  eles.

Rodrigo pediu autorização ao pai, houve intervenção no processo da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e do Tribunal, que deu então a guarda à mãe, acrescenta a mesma fonte.

O “tio” de Rodrigo acrescenta ainda que «a CPCJ estava informada que o miúdo estava a ser maltratado pelo padrasto».

 

Célia Barreto terá marcado encontro com melhor amigo de Rodrigo Lapa

A mãe de Rodrigo Lapa terá marcado um encontro com o melhor amigo de Rodrigo, na passada sexta-feira, dia 26 de fevereiro, quatro dias depois do desaparecimento do filho.

Teresa Matias diz que a mulher terá enviado uma mensagem ao jovem, que foi intercetada pela mãe do amigo, que decidiu acompanhá-lo.

Ao chegarem ao local do encontro, um sítio ermo, Célia Barreto estava acompanhada por vários homens, e gerou-se um clima de exaltação.

Segundo Teresa Matias, «a mãe do amigo do Rodrigo participou na segunda-feira a situação às autoridades, e foi por isso que a mãe foi chamada para interrogatório».

Rodrigo Lapa, de 15 anos, estava desaparecido desde segunda-feira, dia 22 de Fevereiro. Terá desaparecido supostamente quando fazia o trajeto habitual entre a casa da mãe, em Vendas, Malheiro (Portimão), e a sua escola, em Estômbar.

Acabou por ser descoberto hoje de manhã, pelas 9h15, já morto, num terreno baldio por trás da casa da mãe. O corpo não estava enterrado e a Polícia Judiciária está agora a fazer diligências para determinar se a morte resulta de homicídio ou de acidente. A hipótese de suicídio parece estar já posta de parte.

Comentários

pub
pub